sicnot

Perfil

Desporto

Asafa Powell lança suspeitas sobre marca de Gatlin nos 100 metros

 O atleta jamaicano Asafa Powell considerou hoje, antes do 'meeting' de Montreuil (França), "surpreendente" que o norte-americano Justin Gatlin corra mais rápido agora, aos 33 anos, do que na época em que se dopava. 

© Gilbert Bellamy / Reuters

"Ele corre verdadeiramente bem e tem mérito por isso, não posso dizer mais. Mas se estou surpreso? [silêncio]. Diria que regressar [de um castigo de dopagem] e estabelecer um novo recorde pessoal é, no mínimo, surpreendente, sobretudo por ser a primeira corrida da época. Mas não posso dizer mais", salientou Powell, que também esteve suspenso 18 meses por dopagem.

Gatlin, campeão olímpico de 2004, esteve suspenso quatro anos, entre 2006 e 2010, pelo uso de anabolisantes e tem atualmente a melhor marca do ano nos 100 metros, com 9,74 segundos. O jamaicano tem o segundo melhor registo, com 9,84 segundos.

O norte-americano estabeleceu a 15 de maio a melhor marca mundial do ano, em Doha, na abertura da Liga de Diamante, correndo três centésimos mais rápido do que o seu recorde pessoal, que datava da sua 'primeira' carreira. 

Powell tem um recorde pessoal de 9,72 segundos, uma marca da qual não se aproxima há quatro anos, mesmo antes da sua suspensão em 2013.









Lusa
  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19

    Mundo

    O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos recebeu ao início da tarde na Noruega o prémio pelo trabalho que desenvolveu junto das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, FARC. As cerimónias são este sábado e marcadas pela ausência do Nobel da Literatura, Bob Dylan.

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55

    Football Leaks

    Com o escândalo dos agentes de futebol a dar que falar, o Expresso revela este sábado os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa. O nome da empresa de que é administrador, a Energy Soccer, surge na investigação em transferências de jogadores que envolvem o Futebol Clube do Porto num conflito de interesses.