sicnot

Perfil

Desporto

Ingleses vão analisar dados médicos de Mo Farah

O meio-fundista inglês Mo Farah, duplo campeão olímpico em Londres2012, deverá ter os dados médicos examinados, no seguimento da polémica que afeta o seu treinador, Alberto Salazar, suspeito de ter dopado atletas.

© Phil Noble / Reuters

Edi Warner, presidente da federação inglesa de atletismo (UKA), defende o exame de todos os dados relativos a Farah e sugere mesmo que este deve cessar, "até que todas as acusações estejam limpas", o relacionamento com Alberto Salazar, treinador norte-americano sediado no Oregon e também responsável por Galen Rupp, vice-campeão olímpico de 10.000 metros.

"O que nós podemos é ver todos os dados sobre o nosso atleta: dados de sangue, suplementos, tudo o que tenha a ver com tratamento médico", defendeu. 

Mo Farah, 32 anos, foi no domingo ausência de última hora do meeting de Birmingham, da Liga Diamante, dizendo estar "esgotado" e optando por voar para os Estados Unidos, onde se deverá encontrar com o treinador.

Alberto Salazar foi acusado, em investigação do Panorama BBC, de ter encorajado vários atletas a doparem-se - nomeadamente o norte-americano Galen Rupp, companheiro de treinos de Farah e que se terá dopado desde juvenil.

Warner mostra-se convicto de que nada provará a ligação de Mo Farah e a UKA ao programa de dopagem do centro de Oregon. 

"Mas mesmo assim devemos recomendar a Mo, ou decidir nós próprios, que o relacionamento cesse, por causa dos prejuízos sobre a reputação", adiantou. 

Mo Farah, de 32 anos, está no grupo de Salazar desde 2011 e desde então a sua carreira tem sido especialmente bem sucedida, com os dois títulos olímpicos, nos Mundiais de 2013 e nos Europeus do ano passado, entre outros sucessos.









Lusa
  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite