sicnot

Perfil

Desporto

Presidente do Comité Olímpico defende reforma profunda da FIFA

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI) defendeu hoje que uma reforma profunda na FIFA "pode ser dolorosa, mas é absolutamente necessária". 

© Pierre Albouy / Reuters

"Nós sabemos, por experiência própria, que por tudo sobre a mesa pode ser doloroso, mas é absolutamente necessário. Vimo-lo na nossa história. O COI só conseguiu restaurar a sua credibilidade fazendo isso", declarou Thomas Bach à imprensa, à margem de uma reunião da comissão executiva do movimento olímpico em Lausana (Suíça). 

O presidente do COI referia-se ao escândalo que afetou a instituição que preside, relativo à troca de votos por subornos para entregar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2002 à cidade norte-americana de Salt Lake City.  

Ainda assim, Thomas Bach foi taxativo ao diferenciar a magnitude dos escândalos, considerando o da FIFA, que levou o presidente, Joseph Blatter, à demissão, muito mais grave.

"A diferença na amplitude é enorme, não há praticamente nenhuma comparação com o que aconteceu com Salt Lake City e com o que está a acontecer na FIFA", reforçou. 

O máximo responsável do COI assumiu que a única posição que a entidade que dirige pode tomar é encorajar a FIFA a empreender uma reforma "substancial". 

Blatter, membro do COI, deverá estar ausente, na terça-feira, na apresentação aos membros do movimento olímpico das candidaturas de Pequim (China) e Almaty (Cazaquistão) aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022. 

Na terça-feira, Joseph Blatter demitiu-se da presidência da FIFA, na sequência do escândalo de corrupção que abala o organismo máximo do futebol, e pediu a marcação de um congresso extraordinário para eleição de um sucessor.

A sua renúncia aconteceu seis dias depois de o Departamento de Justiça dos Estados Unidos ter indiciado nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da FIFA, acusando-os de associação criminosa e corrupção nos últimos 24 anos, num caso em que estarão em causa subornos no valor de 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

A acusação foi conhecida horas depois de o Ministério da Justiça e a polícia da Suíça terem detido sete dirigentes da FIFA na quarta-feira, num hotel de Zurique, a dois dias das eleições. 






Lusa
  • Défice cai 1.900 milhões até agosto

    Economia

    O défice das administrações públicas foi de 2.034 milhões de euros até agosto, uma "melhoria de 1.901 milhões" face ao mesmo período de 2016, segundo o Governo, que justifica com aumento superior a 4% da receita.

  • Atores recriam cena em que um homem é vítima de violência doméstica
    1:35
  • Ministério Público admite eventual detenção do presidente do governo da Catalunha
    2:24
  • Bispo vermelho

    "Recebia trabalhadores e sindicalistas, batia à porta de políticos e empresários, andava pelas ruas da cidade ao encontro dos que das ruas da cidade faziam casa". Joaquim Franco evoca Manuel Martins, o "bispo vermelho".

    Joaquim Franco

  • Apreendidos quase 7.000 comprimidos ilegais vendidos pela internet
    1:43

    País

    O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam perto de 7.000 unidades de comprimidos ilegais.A apreensão aconteceu no âmbito de uma operação internacional da Interpol de combate aos medicamentos ilegais vendidos pela internet, explicou à SIC Luís Sande e Castro, diretor da Unidade de Inpeção do Infarmed.

  • Criar galinhas na cozinha, guerras no fogão, e drones dentro de casa
    7:28
  • Passageiro detido com 1 kg de ouro no reto

    Mundo

    Os funcionários da alfândega do aeroporto de Colombo, Sri Lanka, estranharam o comportamento de um passageiro que "caminhava com dificuldade". Um exame completo revelou a valiosa carga que levava escondida... no tubo intestinal.