sicnot

Perfil

Desporto

Presidente do Comité Olímpico defende reforma profunda da FIFA

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI) defendeu hoje que uma reforma profunda na FIFA "pode ser dolorosa, mas é absolutamente necessária". 

© Pierre Albouy / Reuters

"Nós sabemos, por experiência própria, que por tudo sobre a mesa pode ser doloroso, mas é absolutamente necessário. Vimo-lo na nossa história. O COI só conseguiu restaurar a sua credibilidade fazendo isso", declarou Thomas Bach à imprensa, à margem de uma reunião da comissão executiva do movimento olímpico em Lausana (Suíça). 

O presidente do COI referia-se ao escândalo que afetou a instituição que preside, relativo à troca de votos por subornos para entregar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2002 à cidade norte-americana de Salt Lake City.  

Ainda assim, Thomas Bach foi taxativo ao diferenciar a magnitude dos escândalos, considerando o da FIFA, que levou o presidente, Joseph Blatter, à demissão, muito mais grave.

"A diferença na amplitude é enorme, não há praticamente nenhuma comparação com o que aconteceu com Salt Lake City e com o que está a acontecer na FIFA", reforçou. 

O máximo responsável do COI assumiu que a única posição que a entidade que dirige pode tomar é encorajar a FIFA a empreender uma reforma "substancial". 

Blatter, membro do COI, deverá estar ausente, na terça-feira, na apresentação aos membros do movimento olímpico das candidaturas de Pequim (China) e Almaty (Cazaquistão) aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022. 

Na terça-feira, Joseph Blatter demitiu-se da presidência da FIFA, na sequência do escândalo de corrupção que abala o organismo máximo do futebol, e pediu a marcação de um congresso extraordinário para eleição de um sucessor.

A sua renúncia aconteceu seis dias depois de o Departamento de Justiça dos Estados Unidos ter indiciado nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da FIFA, acusando-os de associação criminosa e corrupção nos últimos 24 anos, num caso em que estarão em causa subornos no valor de 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

A acusação foi conhecida horas depois de o Ministério da Justiça e a polícia da Suíça terem detido sete dirigentes da FIFA na quarta-feira, num hotel de Zurique, a dois dias das eleições. 






Lusa
  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.