sicnot

Perfil

Desporto

Rui Costa vence sexta etapa do Critério do Dauphiné

Rui Costa voltou esta sexta-feira a provar que é um dos maiores estrategas do pelotão internacional, impondo-se com autoridade na sexta etapa do Critério do Dauphiné, à frente de Vincenzo Nibali, que vestiu a camisola amarela.

(Arquivo)

(Arquivo)

Lionel Cironneau

Debaixo de chuva, o ciclista da Lampre-Merida soube, como é seu hábito, esperar pelo momento mais oportuno para lançar um demolidor ataque, ultrapassando, a 300 metros da meta em Villard-de-Lans, o vencedor do Tour2014, que seguia isolado depois de ter deixado para trás Alejandro Valverde (Movistar) e Tony Gallopin (Lotto Soudal), os outros dois elementos do grupo de 'luxo' que animou a atípica tirada.

Costa, que cruzou a meta com o dedo a apontar para as listas arco-íris inscritas na manga da sua camisola da Lampre-Merida, reminiscências do título que conquistou em 2013, cumpriu os 183 quilómetros, com partida em Saint-Bonnet-en-Champsaur, em 04:29.23 horas, cinco segundos diante do italiano da Astana, que lhe negou por 29 segundos a liderança da geral individual.

A montanhosa (havia quatro contagens de terceira categoria, uma de segunda e uma de primeira) sexta etapa convidava às fugas, mas ninguém suporia que os fugitivos do dia fossem nomes de peso do pelotão internacional. Depois de várias tentativas fracassadas, Nibali vingou-se no desaire da véspera, ficando isolado na subida para Croix Haute, aos 67 quilómetros.

Prontamente, saltaram do pelotão Costa, Valverde, Gallopin e Tony Martin (Etixx-Quickstep), que já tinha andado fugido uns quilómetros antes. A qualidade dos cinco permitiu-lhes angariar uma vantagem que o grande grupo não conseguiu anular e disputar entre si a etapa e, consequentemente, a camisola amarela.

As más condições climatéricas, a dureza do traçado e a motivação dos outros fugitivos acabaram por eliminar Martin, que ficou cortado a 20 quilómetros da meta. Foi aí que apareceu a melhor versão de Nibali, que atacou, atacou até ficar isolado a pouco mais de mil metros da meta.

Mas Costa nunca desiste e, correndo de trás para a frente, ultrapassou o vencedor do Tour2014 mesmo a tempo de celebrar isolado a vitória na tirada, deixando Nibali na segunda posição e os outros dois companheiros de jornada a 38 segundos, um resultado que lhe permitiu ascender à segunda posição da geral.

"Foi uma reação de orgulho. Não corria desde a Volta à Romandia e a primeira parte da minha época não foi boa. Quando vim para o Dauphiné, precisava de respostas. Ontem não foi perfeito e precisava de redenção", explicou o novo camisola amarela, que lidera com 29 segundos de vantagem para Costa e 30 para Valverde.

O anterior líder, o norte-americano Tejay Van Garderen (BMC) acusou o desgaste da perseguição, caindo para quinto na geral, a 42 segundos de Nibali, e o herói da véspera, o francês Romain Bardet (AG2R-La Mondiale), sofreu uma queda, perdendo contacto com os principais perseguidores, entre os quais se encontrava Chris Froome (Sky), hoje apenas nono, a 02.12 minutos.

Bruno Pires (Tinkoff-Saxo) foi o segundo português a cruzar a meta, na 30.ª posição, a 06.25 minutos, tendo subido a 31.º na geral (a 16.40 minutos), enquanto todos os outros representantes nacionais chegaram num grupo a 36.25 minutos.

Tiago Machado (Katusha), que caiu na véspera, desceu ao 59.º posto da geral, a 38.52 minutos de Nibali, José Mendes (Bora-Argon 18) ocupa a 71.ª posição, a 46.14 minutos, e Nelson Oliveira (Lampre-Merida) é 90.º, a 52.14 minutos.

No sábado corre-se a sétima etapa, uma ligação de 155 quilómetros, entre Montmélian e Saint-Gervais.
Lusa
  • Presidente do Tondela diz que clube foi humilhado
    1:26

    Desporto

    O presidente do Tondela participou esta segunda-feira na conferência de imprensa após o jogo da 23.ª jornada da I Liga com o Sporting. Gilberto Coimbra criticou o árbitro do encontro João Capela, e diz que o tempo de compensação dado a mais foi por uma falta que não foi assinalada sobre um jogador do Tondela, Bruno Monteiro.

  • Último golo do Sporting ao Tondela "é legal e limpinho" 
    0:41

    Desporto

    Jorge Jesus entende que a vitória desta segunda-feira do Sporting frente ao Tondela não merece contestação e destaca o facto de o árbitro ter avisado os jogadores que iria prolongar o tempo extra. Para o treinador dos leões, o golo no minuto 99' é legal. 

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC