sicnot

Perfil

Desporto

Godinho Lopes garante que nada declarou contra o Sporting no Tribunal do Desporto

O ex-presidente do Sporting Godinho Lopes foi hoje ouvido no Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) como testemunha da Doyen no caso que a opõe ao Sporting, mas garantiu que "nada declarou contra o clube do seu coração".

O ex-presidente Godinho Lopes é um dos visados pela administração leonina.

O ex-presidente Godinho Lopes é um dos visados pela administração leonina.

LUSA

"Porque seria incapaz de o fazer, no passado, no presente ou no futuro, nada declarei contra o clube do meu coração", fez saber Godinho Lopes num comunicado público depois da sua audição no TAS, em Lausana, na Suíça.

O ex-presidente dos 'leões' não se alongou em explicações sobre o conteúdo da sua intervenção naquele tribunal com a justificação de que "estava obrigado à estrita confidencialidade imposta pelo TAS".

Mesmo assim, Godinho Lopes sentiu a necessidade de explicar que as suas declarações "apenas tiveram por função responder às perguntas dos árbitros, do Sporting Clube de Portugal e da Doyen e justificar as decisões que tomou ao abrigo do contrato que assinou enquanto presidente do clube". 

Godinho Lopes lamentou ainda "as injustas acusações" de que tem sido alvo, as quais, porém, "jamais irão abalar" as suas convicções pessoais e o amor que diz sentir pelo Sporting Clube de Portugal. 

A Doyen avançou com uma queixa contra o Sporting no TAS por causa da transferência do jogador argentino Marcos Rojo para o Manchester United, pela qual exige o pagamento de 16 milhões de euros, mas a SAD leonina alega que o negócio poderia ter atingido os 30 milhões de euros -- Rojo foi vendido por 20 -- caso não tivesse havido interferência daquele fundo durante as negociações com o clube inglês.

Além de Godinho Lopes, a Doyen indicou como testemunhas Jorge Nuno Pinto da Costa (presidente do FC Porto), Pedro Sousa (ex-funcionário do Sporting), Nobre Guedes (ex-dirigente do Sporting), Paulo Gonçalves (assessor jurídico do Benfica, enquanto representante de Luís Filipe Vieira), Adriano Galliani (administrador-delegado do AC Milan), Gil Marín (conselheiro-delegado do Atlético Madrid), Florentino Pérez (presidente do Real Madrid) e Monchi (diretor de futebol do Sevilha).

As audiências e alegações finais decorrem entre segunda e quinta-feira, em Lausana, mas a decisão final só deverá ser divulgada em setembro.





Lusa
  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.