sicnot

Perfil

Desporto

Michelle de Brito fala em "sentimento inacreditável" por ter batido Ana Ivanovic

A tenista portuguesa Michelle Larcher de Brito apontou hoje o autocontrolo como a chave para ter derrotado a sérvia Ana Ivanovic, número sete mundial, na segunda ronda do torneio de Birmingham. 

A número um portuguesa e 135.ª jogadora mundial reconheceu que ter-se mantido calma foi crucial. "É uma das coisas que tenho feito mesmo bem, tentar manter-me concentrada e não me desconcentrar", completou. (Arquivo)

A número um portuguesa e 135.ª jogadora mundial reconheceu que ter-se mantido calma foi crucial. "É uma das coisas que tenho feito mesmo bem, tentar manter-me concentrada e não me desconcentrar", completou. (Arquivo)

Ben Curtis / AP

"É um sentimento inacreditável, foi tão enervante na parte final do 'tie-break'. Sinto-me muito melhor com o meu jogo depois de bater boas jogadoras no 'qualy'", começou por dizer a portuguesa, radicada nos Estados Unidos, depois de ter derrotado a campeã em título do torneio britânico pelos parciais de 6-3, 3-6 e 7-6 (8-6). 

A número um portuguesa e 135.ª jogadora mundial reconheceu que ter-se mantido calma foi crucial. "É uma das coisas que tenho feito mesmo bem, tentar manter-me concentrada e não me desconcentrar", completou.

Larcher de Brito teve ainda palavras para a adversária, considerando que hoje Ivanovic terá acusado a pressão de defender o título.

"Eu simplesmente saí para o 'court' sem nada a perder e foi atrás das minhas pancadas. Adoro a relva, favorece o meu jogo e penso que é a minha superfície favorita", explicou.

Já a número sete mundial admitiu que é difícil jogar com alguém que já vem com ritmo na relva, referindo-se ao facto da portuguesa ter vindo da fase de qualificação do torneio de Birmingham. 

"Hoje comecei mesmo mal até ter encontrado o meu ritmo. Fiquei muito desapontada por não ter mantido o meu serviço no terceiro 'set'", lamentou a sérvia, antiga número um mundial.
Lusa
  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC