sicnot

Perfil

Desporto

UE reforça cooperação contra "hooligans" a pensar no Euro2016 e 2020

Especialistas de sete estados-membros da União Europeia (UE), entre os quais Portugal, acordaram esta quinta-feira, em Haia, no reforço da cooperação para prevenir, investigar e julgar crimes cometidos por 'hooligans' em grandes eventos desportivos, nomeadamente em Europeus de futebol.

O Europeu2020 terá lugar em 13 cidades em todo o continente (Munique, Dublin, Londres, Glasgow, Baku, Copenhaga, Budapeste, São Petersburgo, Roma, Amesterdão, Bucareste, Bruxelas e Bilbao), pelo que o bom funcionamento da cooperação judiciária em matéria penal será mais importante do que nunca. (Arquivo)

O Europeu2020 terá lugar em 13 cidades em todo o continente (Munique, Dublin, Londres, Glasgow, Baku, Copenhaga, Budapeste, São Petersburgo, Roma, Amesterdão, Bucareste, Bruxelas e Bilbao), pelo que o bom funcionamento da cooperação judiciária em matéria penal será mais importante do que nunca. (Arquivo)

© Amr Dalsh / Reuters

O encontro, proposto pelo Eurojust e que incluiu ainda especialistas da Holanda, Suécia, Bélgica, Áustria, Reino Unido e França, teve como finalidade ajudar os estados-membros na organização do Campeonato da Europa em 2016 e 2020, e para desenvolver as melhores práticas sobre a forma de gerir os fãs de futebol que cometem crime além-fronteiras. 

O Europeu2020 terá lugar em 13 cidades em todo o continente (Munique, Dublin, Londres, Glasgow, Baku, Copenhaga, Budapeste, São Petersburgo, Roma, Amesterdão, Bucareste, Bruxelas e Bilbao), pelo que o bom funcionamento da cooperação judiciária em matéria penal será mais importante do que nunca.

A Eurojust é um organismo da União Europeia que ajuda investigadores e delegados dos ministérios públicos em toda a UE a trabalhar em conjunto na luta contra a criminalidade transfronteiras.

Os participantes discutiram os principais desafios judiciais no que respeita em trazer à justiça os que cometem delitos durante grandes torneios e que obriga à articulação entre os vários países de origem dos perpetradores onde o crime foi cometido.
Lusa
  • País

    A justiça Britânica voltou a adiar o cumprimento de um mandado de detenção internacional emitido por Portugal em nome de Garry Mann, o adepto inglês, condenado a 2 anos de prisão por distúrbios causados em Albufeira, durante o Euro 2004. Apesar do tribunal europeu dos direitos do homem ter dito que não havia forma de travar a extradição, uma instância superior em Londres decidiu conceder ao arguido mais uma audiência.

  • "Tudo o que se está a passar no Sporting tem um único responsável: Bruno de Carvalho"
    7:08
  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.