sicnot

Perfil

Desporto

Mo Farah diz que nunca se dopou nem nunca falhou testes

O britânico Mo Farah, campeão mundial e olímpico dos 5000 e 10.000 metros, reiterou esta sexta-feira nunca ter tomado substâncias que melhorassem o desempenho desportivo e negou ter falhado a testes antidoping.

O atleta britânico, de 32 anos e nascido na Somália, tem estado sob suspeita desde o início do mês, na sequência de um documentário divulgado pela BBC, que dava conta da violação da regulamentação antidoping do seu treinador, Alberto Salazar, e do companheiro de treino Galen Rupp. (Arquivo)

O atleta britânico, de 32 anos e nascido na Somália, tem estado sob suspeita desde o início do mês, na sequência de um documentário divulgado pela BBC, que dava conta da violação da regulamentação antidoping do seu treinador, Alberto Salazar, e do companheiro de treino Galen Rupp. (Arquivo)

© Dylan Martinez / Reuters

"Nunca tomei drogas que melhorassem o desempenho e nunca tomarei", frisou Farah, na sua página oficial no Facebook.

O atleta britânico, de 32 anos e nascido na Somália, tem estado sob suspeita desde o início do mês, na sequência de um documentário divulgado pela BBC, que dava conta da violação da regulamentação antidoping do seu treinador, Alberto Salazar, e do companheiro de treino Galen Rupp.

"Ao longo da minha carreira fui submetido a centenas de controlos antidoping e todos foram negativos. Eu expliquei aturadamente os dois únicos testes que falhei na minha carreira, que as autoridades compreenderam, e nunca houve a suspeita de que estes tenham sido algo mais do que simples enganos", acrescentou o recordista europeu da meia-maratona, marca obtida em março, em Lisboa.

O jornal britânico Daily Mail noticiou na quinta-feira que Farah tinha falhado dois controlos antes dos Jogos Olímpicos de Londres2012, nos quais venceu duas medalhas de ouro.

A regulamentação antidopagem britânica prevê uma suspensão até quatro anos para atletas que falhem três controlos em 12 meses [um período que era de 18 meses antes de 2013].

"As últimas duas semanas foram as mais duras da minha vida -- com rumores e especulação sobre mim que são completamente falsos -- e o impacto que teve na minha família e nos meus amigos deixou-me furioso, frustrado e preocupado. Em particular, com a pressão da comunicação social sobre a minha família e a minha mulher, que está grávida de cinco meses. É extremamente doloroso, especialmente estando eu fora a treinar para corridas importantes", referiu.

O meio-fundista confirmou a viagem para Portland, que levou à sua ausência da prova de 1.500 metros da etapa de Birmingham da Liga de Diamante, para falar com o seu treinador, Alberto Salazar.

"Ele reiterou que as acusações são falsas e que em breve vai apresentar provas esclarecedoras. Até lá, não irei comentar as alegações", rematou Farah.

Salazar e Rupp negaram as acusações de dopagem, tal como a que o treinador encorajou o atleta a tomar testosterona, enquanto sobre Farah não havia qualquer suspeita de práticas ilegais.

Salazar treina Farah desde fevereiro de 2011 e é o responsável técnico do prestigiado Nike Oregon Project, em Portland, e um "consultor gracioso" da federação britânica de atletismo.
Lusa
  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.