sicnot

Perfil

Desporto

Mo Farah diz que nunca se dopou nem nunca falhou testes

O britânico Mo Farah, campeão mundial e olímpico dos 5000 e 10.000 metros, reiterou esta sexta-feira nunca ter tomado substâncias que melhorassem o desempenho desportivo e negou ter falhado a testes antidoping.

O atleta britânico, de 32 anos e nascido na Somália, tem estado sob suspeita desde o início do mês, na sequência de um documentário divulgado pela BBC, que dava conta da violação da regulamentação antidoping do seu treinador, Alberto Salazar, e do companheiro de treino Galen Rupp. (Arquivo)

O atleta britânico, de 32 anos e nascido na Somália, tem estado sob suspeita desde o início do mês, na sequência de um documentário divulgado pela BBC, que dava conta da violação da regulamentação antidoping do seu treinador, Alberto Salazar, e do companheiro de treino Galen Rupp. (Arquivo)

© Dylan Martinez / Reuters

"Nunca tomei drogas que melhorassem o desempenho e nunca tomarei", frisou Farah, na sua página oficial no Facebook.

O atleta britânico, de 32 anos e nascido na Somália, tem estado sob suspeita desde o início do mês, na sequência de um documentário divulgado pela BBC, que dava conta da violação da regulamentação antidoping do seu treinador, Alberto Salazar, e do companheiro de treino Galen Rupp.

"Ao longo da minha carreira fui submetido a centenas de controlos antidoping e todos foram negativos. Eu expliquei aturadamente os dois únicos testes que falhei na minha carreira, que as autoridades compreenderam, e nunca houve a suspeita de que estes tenham sido algo mais do que simples enganos", acrescentou o recordista europeu da meia-maratona, marca obtida em março, em Lisboa.

O jornal britânico Daily Mail noticiou na quinta-feira que Farah tinha falhado dois controlos antes dos Jogos Olímpicos de Londres2012, nos quais venceu duas medalhas de ouro.

A regulamentação antidopagem britânica prevê uma suspensão até quatro anos para atletas que falhem três controlos em 12 meses [um período que era de 18 meses antes de 2013].

"As últimas duas semanas foram as mais duras da minha vida -- com rumores e especulação sobre mim que são completamente falsos -- e o impacto que teve na minha família e nos meus amigos deixou-me furioso, frustrado e preocupado. Em particular, com a pressão da comunicação social sobre a minha família e a minha mulher, que está grávida de cinco meses. É extremamente doloroso, especialmente estando eu fora a treinar para corridas importantes", referiu.

O meio-fundista confirmou a viagem para Portland, que levou à sua ausência da prova de 1.500 metros da etapa de Birmingham da Liga de Diamante, para falar com o seu treinador, Alberto Salazar.

"Ele reiterou que as acusações são falsas e que em breve vai apresentar provas esclarecedoras. Até lá, não irei comentar as alegações", rematou Farah.

Salazar e Rupp negaram as acusações de dopagem, tal como a que o treinador encorajou o atleta a tomar testosterona, enquanto sobre Farah não havia qualquer suspeita de práticas ilegais.

Salazar treina Farah desde fevereiro de 2011 e é o responsável técnico do prestigiado Nike Oregon Project, em Portland, e um "consultor gracioso" da federação britânica de atletismo.
Lusa
  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.