sicnot

Perfil

Desporto

Bruna Lopes, 12 anos, já acelera em Espanha e sonha com o MotoGP

Bruna Lopes ainda não tem idade para ter carta de condução mas já é a primeira mulher a vencer corridas de motociclismo de velocidade em Portugal, acelerando agora em Espanha, enquanto sonha com o MotoGP.

MANUEL TELES

Bruna Lopes tem 12 anos, é de Bragança e tanto em Portugal como em Espanha é a única menina a competir, liderando o campeonato nacional de velocidade e ocupando o sétimo lugar na geral daquele que é considerado o mais competitivo, o espanhol.

Tinha acabado de fazer 11 anos quando entrou pela primeira vez em pista, em outubro de 2013, no Estoril. Fez a última prova do Campeonato Nacional de Velocidade e "nem sequer mudanças sabia pôr".

Ficou em último, mas foi o estímulo para em 2014 se sagrar vice-campeã nacional, "a mais nova de sempre e a primeira mulher a ganhar corridas em Portugal", como salientou à Lusa o pai Bruno Lopes.

Em 2015, acelera em Portugal e avançou para o campeonato espanhol, "o mais competitivo com 180 pilotos de todas a categorias e de 17 nacionalidades".

Aproxima-se "um fim de semana único, com duas corridas", uma sábado e outra domingo, em Alcarràs, na Catalunha, e Bruna não esconde o entusiasmo com um "está a correr bem" e a expetativa de "prova a prova, até outubro, ir sempre melhorando, cada segundo estar mais perto dos da frente".

Bruna corre na categoria de 80 cc e diz que "em Espanha tem uma motivação maior".

Em Portugal "já é basicamente um treino" porque, como diz, não tem com quem "apanhar na roda".

A meta da jovem é sagrar-se campeã nacional e no próximo ano avançar para a categoria de pré-Moto3, em Espanha.

Bruna nasceu entre as motos, negócio de família, e inspirada pelo pai Bruno que competiu em circuitos urbanos regionais.

Teve medo da primeira moto que lhe ofereceram até começar a acelerar por volta dos nove anos.

"Como é que tu só tens 12 anos e podes andar de mota se não tens carta?" é a pergunta que muitas vezes lhe fazem, como contou a mãe Elma Jacinta.

Bruna tem uma licença especial e só pode competir em circuito fechado tal como todos que correm na mesma categoria e com idades idênticas, entre os dez e os 13 anos.

O gosto pelas motos sobressai no domínio da gíria da velocidade e no sonho com o topo, "o MotoGP", refreado pela cautela do pai Bruno que sabe que é preciso "treinar muito e investir muito dinheiro para se conseguir estar à frente".

E é aqui que surgem as desvantagens de Bruna em relação a outros colegas, sobretudo do campeonato espanhol.

Os patrocínios restringem-se a algumas empresas de Bragança e não chegam.

"As pessoas dão mais para o futebol, é tudo futebol", desabafou o pai que é "a escola de Bruna".

Em Portugal não há nenhuma escola da modalidade enquanto os concorrentes espanhóis "praticamente todos frequentam escolas de motociclismo".

Bruna só treina nas provas porque em Bragança não tem um espaço para o fazer. De vez em quando vai dar umas voltas no kartódromo de Vila Real, a mais de 100 quilómetros.

As deslocações e toda a logística são basicamente suportadas pela família e por um grupo de amigos que criaram a ASA (Astro Surpresa Associação) propositadamente para apoiar a jovem revelação.

"Não chega, os custos são muito elevados", vincam os pais que anseiam por mais apoios determinados a levar a filha até onde ela conseguir alcançar.

Bruna tem conseguido conciliar as corridas com os estudos - está no sétimo ano - e parece determinada: o que quer "mesmo é o motociclismo".


Lusa

  • Encontrado corpo de mariscador desaparecido no Barreiro

    País

    O corpo do homem com cerca de 50 anos apareceu esta manhã junto ao Clube Naval do Barreiro, na mesma zona onde tinha desaparecido na noite deste sábado. A informação já foi confirmada à SIC pela Polícia Marítima, que adiantou que o corpo já foi levado para a morgue. O alerta foi dado por volta das 22:30 de ontem pelos companheiros de nacionalidade chinesa que estavam com a vítima na apanha de bivalves na margem sul do Tejo.

  • IPSS despejada nos Açores
    2:25

    País

    A IPSS Aurora Social, de Ponta Delgada, nos Açores, foi notificada pelo tribunal a abandonar a cozinha onde, há mais de 20 anos, fornece comida a quem mais precisa. A decisão judicial partiu de uma queixa dos moradores e põe em causa os postos de trabalho de 13 funcionárias, a maioria com deficiência. Há dois anos que a Secretaria Regional de Solidariedade Social dos Açores tenta encontrar uma alternativa à cozinha, que tem licença da câmara.

  • Pais revoltados com transporte de crianças do Mogadouro
    4:14

    País

    Os pais dos alunos de algumas aldeias de Mogadouro estão preocupados com a falta de segurança do transporte dos filhos para a escola, na sede de concelho. Os pais contestam o autocarro degradado, que avaria com frequência, e a falta de cintos de segurança em percursos rurais com dezenas de quilómetros.

  • Vidas de fogo
    12:04
  • Uma corrida subterrânea por Lisboa
    1:16

    Desporto

    Imagine uma prova em que só sabe que vai correr. Não sabe nem os percursos nem as distâncias. Quem aceitou o desafio da Underground Running em Lisboa explorou os túneis de água de Lisboa e do Museu da Mãe de Água, até ao Miradouro São Pedro de Alcântara.

  • Quer conhecer os cães mais feios do mundo?
    1:15