sicnot

Perfil

Desporto

Blatter evita viagens de risco antes de clarificação de caso de corrupção na FIFA

O presidente demissionário da FIFA, o suíço Joseph Blatter, garantiu que vai evitar "viagens de risco", enquanto o caso de corrupção que afeta o organismo que tutela o futebol mundial não esteja clarificado.

O Parlamento Europeu pediu à FIFA que substitua "imediatamente" Joseph Blatter (na imagem) na presidência do órgão dirigente do futebol mundial e que adote reformas para combater a corrupção "generalizada e sistemática". (Arquivo)

O Parlamento Europeu pediu à FIFA que substitua "imediatamente" Joseph Blatter (na imagem) na presidência do órgão dirigente do futebol mundial e que adote reformas para combater a corrupção "generalizada e sistemática". (Arquivo)

© Arnd Wiegmann / Reuters

"Até que tudo esteja clarificado, não farei qualquer viagem de risco", disse Blatter, em entrevista ao jornal alemão Welt am Sontag.

Blatter apresentou a demissão poucos dias depois de ser reeleito para um quinto mandato à frente da FIFA, na sequência de um caso de corrupção, investigado pelas autoridades norte-americanas e que levou à detenção de vários dirigentes e ex-dirigentes do organismo.

O presidente da FIFA vai estar hoje ausente da final do Mundial feminino, que se disputa no Canadá, justificando com "razões pessoais", tendo também falhado o encontro decisivo do Mundial sub-20, na Nova Zelândia.

Contudo, o suíço vai estar presente no sorteio da fase de qualificação para o Mundial2018, no fim de julho, na Rússia.

Na entrevista ao jornal alemão, Blatter voltou a falar da atribuição dos Mundiais de 2018 e 2022 à Rússia e ao Qatar, respetivamente.

"Antes da atribuição dos Mundiais ao Qatar e à Rússia houve duas intervenções políticas. Os senhores [Nicolas] Sarkozy e [Christian) Wulff [presidentes da França e da Alemanha na altura] tentaram influenciar os seus delegados", disse.

Ainda de acordo com Blatter, à federação alemã "foi pedido [por Wulff] que votasse no Qatar devido a interesses económicos".

 

 

 

 

Lusa

 

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.