sicnot

Perfil

Desporto

Liga terá nova estrutura diretiva e eleições ainda este mês

Os clubes hoje reunidos em assembleia-geral extraordinária da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) votaram por unanimidade a alteração dos estatutos do organismo.

Lusa

Nas mudanças que foram a sufrágio destaque para uma nova composição da estrutura diretiva da LPFP, tal como deu conta José Mendes, presidente da Assembleia-Geral do órgão.

"A nova direção passa incluir um presidente da Liga, cinco vogais em representação dos clubes da I Liga, três vogais em representação dos clubes da II Liga e um membro da direção da Federação Portuguesa de Futebol", explicou.

José Mendes referiu ainda que foi aprovada "uma nova forma de nomeação dos diretores executivos da Liga, que passarão a ser de dois a quatro e que não integram a direção, embora sejam coadjuvantes do presidente da direção".

Ficou também estabelecido um novo órgão que se encarregará das questões disciplinares da LPFP.

"Foi criado o conselho jurisdicional, que passa a ter um presidente, nove vogais efetivos e cinco vogais suplentes", apontou o presidente da Assembleia-Geral da LPFP.

Com esta reformulação dos órgãos de governo da Liga foi decidido que é necessário abrir um processo eleitoral para todos os órgãos num prazo de 30 dias.

"Em princípio, até ao fim do mês de julho haverá eleições. Na segunda-feira será lançado o processo e as candidaturas terão de ser submetidas até 20 e pouco deste mês. Os atuais órgãos diretos mantêm-se em funções até entrarem os novos elementos", explicou José Mendes.

Ainda nesta assembleia-geral da LPFP foram aprovados os relatórios e contas relativos às épocas desportivas 2012/13 e 2013/14.

O primeiro exercício teve 30 votos a favor e 15 abstenções, contemplando um passivo de 1,2 milhões de euros.

Já o segundo exercício, relativo, a 2013/14, foi aprovado com 31 votos favor e 14 abstenções, espelhando um passivo de 2,5 milhões de euros.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52