sicnot

Perfil

Desporto

Juventus confirma Tevez no Boca Juniors e garante quatro jogadores dos argentinos

A Juventus confirmou hoje que Carlos Tévez vai jogar no Boca Juniors, num negócio de 6,5 milhões de euros, com o clube italiano a garantir os direitos desportivos de quatro futebolistas do clube argentino.

© Marcos Brindicci / Reuters

"A Juventus confirma a transferência a título definitivo dos direitos desportivos do jogador Carlos Alberto Tévez por 6,5 milhões de euros pagos de uma só vez, no dia 15 de dezembro de 2016", pode ler-se num comunicado do clube.

A transferência do jogador argentino contempla ainda a sessão dos direitos desportivos dos argentinos Guido Vadala, Franco Cristaldo e Adrián Cubas e do uruguaio Rodrigo Bentancur.

No mesmo comunicado, o clube de Turim especifica que garantiu o empréstimo até 30 junho de 2017 do avançado de 18 anos Guido Vadala, por 3,5 milhões de euros, jogador sobre o qual poderá, até abril do mesmo ano, exercer o direito de compra, por 9,4 milhões.

Além de Vadala, o acordo prevê ainda que a 'Juve' pague um milhão de euros pelo direito de opção de cada um dos referidos três futebolistas, sendo que em caso de contratação definitiva terá de 'desembolsar' 9,4 milhões por Rodrigo Betancur, 8,2 por Franco Cristaldo e 6,9 por Adrián Cubas.

Assim sendo, significa que os campeões italianos não irão receber qualquer valor no negócio de Tévez, uma vez que os 6,5 milhões correspondem ao valor investido no empréstimo de Vadala (3,5) e no direito de opção de Cristaldo (1), Cubas (1) e Bentancur (1).

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.