sicnot

Perfil

Desporto

FPF nega que William Carvalho tenha apresentado "queixas incapacitantes"

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) disse hoje que o médio William Carvalho, que sofreu uma fratura de esforço, não apresentou "queixas incapacitantes" e nunca trabalhou de forma condicionada durante o Europeu de sub-21.

© Reuters Staff / Reuters

Hoje, o Sporting criticou hoje a FPF por não ter informado o clube da lesão de William Carvalho, que vai estar afastado da competição por um período que pode chegar a três meses.

Em comunicado, a FPF garantiu, pela voz do médico Carlos Martinho, que "William Carvalho não apresentou, até ao final do Campeonato da Europa, queixas incapacitantes, limitativas do rendimento ou que indiciassem a natureza da lesão referida pelo Sporting Clube de Portugal".

O organismo referiu que informa de imediato os clubes cujos jogadores sofrem lesões incapacitantes ao serviço das seleções nacionais.

"Não houve qualquer alteração de rendimento nos jogos ou nos treinos que fizesse pensar que o William Carvalho estava num patamar diferente dos colegas que competiram no Europeu", disse Rui Jorge, selecionador dos sub-21, citado pela FPF.

O organismo refere ainda que Pedro Pauleta, diretor da FPF e líder da comitiva portuguesa na República Checa, também não teve conhecimento de qualquer queixa do jogador, que nunca fez treino diferenciado dos colegas com idêntico número de jogos na prova.

O médio, eleito o melhor jogador do Europeu de sub-21, tinha estado, antes do torneio da República Checa, ao serviço da seleção AA, tendo atuado na partida com a Arménia, sem apresentar qualquer queixa.

"No seguimento do comunicado do Sporting Clube de Portugal sobre o jogador William Carvalho, a Federação Portuguesa de Futebol informa que a sua Unidade de Saúde e Performance solicitou ao departamento clínico do SCP a informação que sustenta o diagnóstico hoje tornado público", concluiu o comunicado.

Em comunicado, o Sporting tinha referido que a FPF não tinha informado o clube de uma lesão do médio, e, "como resultado, o jogador William Carvalho enfrenta um tempo de paragem entre 10 a 12 semanas".

"A Sporting Clube de Portugal, Futebol, SAD vem, por este meio, exprimir a sua indignação pelo facto de o futebolista William Carvalho ter regressado dos trabalhos da seleção sub-21 com uma fratura de 'stress' na tíbia sem que tal facto tenha sido comunicado pelo corpo clínico da seleção nacional de sub-21 ou por qualquer um dos seus dirigentes à direção clínica do Sporting Clube de Portugal", lê-se num comunicado dos 'leões'.

De acordo com o clube, só na segunda-feira, no regresso de William Carvalho ao trabalho, depois de ter estado ao serviço de Portugal no Europeu de sub-21, "o corpo clínico do Sporting Clube de Portugal identificou um problema com o jogador".

O Sporting refere ainda que, "curiosamente, só hoje de madrugada a Federação Portuguesa de Futebol enviou ao Sporting Clube de Portugal os boletins clínicos referentes aos sete jogadores" do clube que estiveram no Europeu da República Checa.

"O boletim clínico da seleção nacional de sub-21, referente ao jogador William Carvalho, diz que o jogador nunca apresentou qualquer problema físico. O jogador nega e refere que o departamento clínico estava a par das queixas do jogador", refere o clube.

Esta é a segunda baixa no início dos trabalhos do Sporting, agora treinado por Jorge Jesus, depois de o defesa-central Ewerton ter sido operado ao tornozelo esquerdo, devendo ficar fora de competição três meses.

Lusa

  • William Carvalho lesionado, Sporting acusa federação

    Desporto

    O jogador do Sporting William Carvalho tem uma fratura de stress na Tíbia e vai parar de 10 a 12 semanas. O médio, que esteve ao serviço da seleção nacional no Europeu de Sub-21, vai assim falhar a Supertaça, o play-off da Liga dos Campeões e o arranque de campeonato. O Sporting está indignado com o corpo clínico da Federação Portuguesa de Futebol.

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55

    Football Leaks

    Com o escândalo dos agentes de futebol a dar que falar, o Expresso revela este sábado os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa. O nome da empresa de que é administrador, a Energy Soccer, surge na investigação em transferências de jogadores que envolvem o Futebol Clube do Porto num conflito de interesses.

  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10