sicnot

Perfil

Desporto

Pinto da Costa descarta apoio a Luís Duque para presidência da Liga

O presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, manifestou-se esta quarta-feira "muito surpreendido" com o anúncio da recandidatura de Luís Duque à presidência da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) e recusa apoiá-lo.

Pinto da Costa referiu o facto de Luís Duque ter revelado aos clubes "factos extremamente graves relacionados com a FPF (federação) e a arbitragem", mas que depois nada fez quanto aos mesmos.

Pinto da Costa referiu o facto de Luís Duque ter revelado aos clubes "factos extremamente graves relacionados com a FPF (federação) e a arbitragem", mas que depois nada fez quanto aos mesmos.

Paulo Duarte / AP

"O FC Porto não apoiará a candidatura do senhor Luís Duque. Pela nossa forma de agir e de pensar, não apoiaremos. Se não houver mais nenhuma candidatura, é natural que o Luís Duque vença, pois não precisará de muitos votos", disse, recordando que "já Mário Figueiredo também arranjava sempre quem votasse nele".

Em declarações ao Porto Canal e site do clube, horas após o anúncio da recandidatura de Luís Duque, Pinto da Costa lembrou que este "ainda há bem pouco tempo disse que não avançaria" e assumiu: "Para mim, foi surpresa. Fiquei muito surpreendido, ainda que ele tenha o direito de o fazer."

Pinto da Costa referiu o facto de Luís Duque ter revelado aos clubes "factos extremamente graves relacionados com a FPF (federação) e a arbitragem", mas que depois nada fez quanto aos mesmos.

"Nós entendíamos que era necessário ele tomar uma posição, até como vice-presidente da FPF, mas a única coisa que fez foi simplesmente deixar de ir às reuniões da Federação. A Liga não precisa de quem a represente na Federação para resolver os problemas, mas sim para bater o pé e não pura e simplesmente abandonar ou desistir", criticou.

O dirigente não aceita que Duque tenha "desistido e abandonado" no combate aos "factos graves nos comandos da arbitragem", lembrando que o que este devia ter feito era "combatê-los".

Pinto da Costa reconhece que Luís Duque fez um "trabalho meritório" no mandato de seis meses, mas entende que não basta assinar contratos de patrocínio, pois, recorda, se assim fosse, "o presidente teria de ser o senhor Joaquim Oliveira, e não será certamente".

O facto de Luís Duque ter diferendos em tribunal com o Sporting também "inviabilizará uma harmonia total na Liga e no futebol".

"Vamos esperar para ver. Se surgirem outros candidatos com credibilidade e um programa, poderemos apoiar. Agora, pelos motivos referidos, a recandidatura de Luís Duque não apoiamos. Vamos esperar para ver se surgem candidatos para os clubes votarem de plena consciência", concluiu.

Lusa

  • Braga perde com Shakhtar e fica fora dos 16 avos de final da Liga Europa
    3:16
  • Ronaldo não está preocupado com repercussões de eventual fuga fiscal
    1:30

    Football Leaks

    Cristiano Ronaldo diz que quem não deve não teme. O avançado português não se mostra preocupado com as notícias que revelam que o jogador não terá declarado os rendimentos da publicidade ao fisco espanhol. Fontes do Ministério das Finanças do país vizinho confirmaram ao jornal El Mundo que o português está a ser investigado há ano e meio.

  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.