sicnot

Perfil

Desporto

Armstrong regressou às estradas francesas em luta contra a leucemia

O norte-americano Lance Armstrong, banido do ciclismo e desapossado das suas sete vitórias na Volta a França por prática de doping, iniciou hoje uma passagem por estadas francesas, numa ação de luta contra a leucemia.

© Stringer France / Reuters

"Espero um acolhimento normal das pessoas. Toda a gente tem sido respeitosa e simpática comigo desde que cheguei a França", antes da sua partida em Verneque, cerca de 30 quilómetros a sul de Toulouse, onde será dada a partida de real da 13.ª etapa da Volta a França na sexta-feira.

Acompanhado por 11 ciclistas amadores, Armstrong pedala hoje entre Muret e Rodez e, na sexta-feira, vai ligar Rodez a Mende, cumprindo os percursos das duas etapas da Volta a França um dia antes dos corredores da 102.ª edição 'Tour', em benefício de uma associação 'Cure Leukemia'.

De capacete negro e camisola preta e azul com o nome da associação, Armstrong acompanha Geoff Thomas, um antigo futebolista internacional inglês, de 50 anos, que venceu a doença e que é o mentor da iniciativa 'Le Tour, Onde Day Ahead' ('Le Tour, Um Dia Antes). Com 10 outros ciclistas amadores (oito homens e duas mulheres), está a fazer uma volta a França completa, cumprindo o mesmo percurso do pelotão profissional, com um dia de antecedência.

"É um grande prazer estar aqui, por esta bela causa", afirmou Armstrong antes de iniciar o percurso dos 198 quilómetros em direção a Rodez, perante cerca de uma centena de jornalistas.

Lance Armstrong, que enfrentou o cancro, junta-se assim à iniciativa e volta a pedalar em França depois de em 2012 ter sido punido por prática sistemática de doping, o que lhe valeu a perda da maioria dos seus resultados, nomeadamente as sete vitórias no 'Tour' (1999-2005). Em 2013, o texano confessou a utilização regular de produtos dopantes.

O objetivo, no início da operação, era recolher cerca de 1,4 milhões de euros, através de donativos e patrocínios. Na terça-feira, a soma já atingia os 840.000 euros, segundo um membro da associação citado pela AFP.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.