sicnot

Perfil

Desporto

Sá Pinto diz que Gotemburgo "não seria adversário ideal" para o Belenenses

O treinador do Belenenses afirmou esta sexta-feira que o Gotemburgo "não seria o adversário ideal" para os 'azuis' defrontarem na terceira pré-eliminatória da Liga Europa de futebol, uma vez que os suecos estão numa fase mais adiantada da época.

"O Gotemburgo está em primeiro lugar no campeonato sueco, com 15 jogos efetuados. Já está com uma dinâmica diferente. Pelo número de jogos que já efetuou, o Gotemburgo não seria a equipa ideal. Além disso, é uma equipa experiente, com história na Europa", disse o técnico português. (Arquivo)

"O Gotemburgo está em primeiro lugar no campeonato sueco, com 15 jogos efetuados. Já está com uma dinâmica diferente. Pelo número de jogos que já efetuou, o Gotemburgo não seria a equipa ideal. Além disso, é uma equipa experiente, com história na Europa", disse o técnico português. (Arquivo)

Alvaro Barrientos / AP

No dia em que se ficou a saber que o conjunto lisboeta terá pela frente o Gotemburgo ou os polacos do Slask Wroclaw, Ricardo Sá Pinto começou por dizer que "nenhuma das equipas será fácil", mas fez questão de frisar que o emblema nórdico está em plena competição desde abril.

"O Gotemburgo está em primeiro lugar no campeonato sueco, com 15 jogos efetuados. Já está com uma dinâmica diferente. Pelo número de jogos que já efetuou, o Gotemburgo não seria a equipa ideal. Além disso, é uma equipa experiente, com história na Europa", adiantou o técnico, após o jogo de apresentação dos 'azuis', diante do Estoril-Praia (0-0).

O Belenenses conhecerá o seu adversário após a segunda mão entre os suecos do IFK Gotemburgo e os polacos do Slask Wroclaw. Na primeira mão, na Polónia, registou-se um empate a zero, estando o segundo jogo marcado para 23 de julho, na Suécia.

A formação portuguesa vai receber o vencedor dessa eliminatória a 30 de julho, visitando o adversário a 06 de agosto, na segunda mão.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.