sicnot

Perfil

Desporto

Hulk alvo de insultos racistas na Rússia

O futebolista internacional brasileiro Hulk, ex-FC Porto, voltou a ser vítima de racismo durante o encontro de sexta-feira entre o Zenit e o Dinamo de Moscovo, que marcou o início do campeonato russo.

"É uma vergonha. Isto não devia acontecer. Mas a verdade é que acontece em quase todos os jogos na Rússia", desabafou o avançado brasileiro num encontro com jornalistas.

"É uma vergonha. Isto não devia acontecer. Mas a verdade é que acontece em quase todos os jogos na Rússia", desabafou o avançado brasileiro num encontro com jornalistas.

© Maxim Shemetov / Reuters

"É uma vergonha. Isto não devia acontecer. Mas a verdade é que acontece em quase todos os jogos na Rússia", desabafou o avançado brasileiro num encontro com jornalistas, depois em referência aos insultos no jogo, ganho pelo Zenit por 2-1.

A cumprir a quarta época ao serviço da equipa russa, atual campeã, Hulk confessa que aprendeu a reagir de forma menos impetuosa.

"Antes, quando acontecia comigo, eu ficava chateado. Mas aprendi que ficar chateado é inútil. Agora mando beijos para aqueles que me insultam", disse o jogador.

A preocupação de Hulk aumenta quando se fala do Mundial2018, que se realiza precisamente na Rússia.

"Se isto [racismo] acontecer durante a prova, seria muito feio. É preciso combater o racismo e punir quem o leva para os estádios", concluiu o internacional brasileiro.

Hulk é colega dos portugueses Neto e Danny no Zenit, clube treinado pelo também português André Villas-Boas.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.