sicnot

Perfil

Desporto

Selecionador da Grécia demite-se após cinco meses no cargo

O uruguaio Sergio Markarian anunciou esta terça-feira que apresentou a sua demissão de selecionador de futebol da Grécia, o que sucede depois de apenas cinco meses no cargo.

Antigo selecionador do Peru (2010 a 2013) e do Paraguai (1999 a 2001), Sergio Markarian, de 70 anos, tinha assinado contrato por um ano por um valor estimado de 350 mil dólares. (Arquivo)

Antigo selecionador do Peru (2010 a 2013) e do Paraguai (1999 a 2001), Sergio Markarian, de 70 anos, tinha assinado contrato por um ano por um valor estimado de 350 mil dólares. (Arquivo)

© Kostas Tsironis / Reuters

"Vim para a Grécia para ajudar a seleção num momento crítico. Peço desculpa aos adeptos gregeos porque os resultados não estão à altura das suas expetativas", declarou.

Antigo selecionador do Peru (2010 a 2013) e do Paraguai (1999 a 2001), Sergio Markarian, de 70 anos, tinha assinado contrato por um ano por um valor estimado de 350 mil dólares. Na Grécia, antes da seleção, orientou clubes como o Iraklis, Ionikos e Panathinaikos.

O comando da seleção limitou-se a três jogos, sem vitórias, em que sobressai uma inesperada e humilhante derrota com as Ilhas Faroé (2-1), nas eliminatórias para o Euro2016. A Grécia segue em último no grupo F, com dois pontos em seis jogos.

Entretanto, Giorgos Girtzikis, presidente da federação grega de futebol, disse à estação de rádio Sport FM que não pretendia aceitar a demissão de Markarian. "Continuo a acreditar nele, tem a minha confiança", afirmou.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15