sicnot

Perfil

Desporto

Benítez afasta polémicas e admite que Ronaldo "é o melhor jogador do mundo"

O treinador do Real Madrid, Rafael Benítez, admitiu hoje que Cristiano Ronaldo "é o melhor jogador do mundo" e desmentiu uma eventual polémica com o futebolista português durante um treino, pois considera os diálogos durante os treinos "normais".

© Reuters Staff / Reuters

"Depois de trabalhar com ele estes dias percebes o quão competitivo ele é e o porquê de ele ser o melhor jogador do mundo. Gostava que todos os jogadores tivessem essa vontade de competir e de ganhar. Estou fascinado com ele", disse.

Afastando qualquer polémica com o jogador luso, que na quarta-feira, num treino em Melbourne, foi visto numa acesa discussão com Benítez devido a uma decisão durante um treino, em que Ronaldo o acusou de decidir sempre contra os jogadores portugueses, o treinador garante que estes diálogos são normais e que a sua relação com o jogador não é diferente face aos demais.

"Os treinos são normais e os diálogos também. Ser competitivo é uma virtude, não um defeito. Tento sempre potenciar os meus jogadores ao máximo e com o Ronaldo também é assim. Só trabalhando com ele percebes como tem tantos troféus e porque é o melhor do mundo", concluiu.

Lusa

  • Incêndios causaram 76 feridos no espaço de uma semana
    0:34

    País

    No espaço de uma semana, 76 pessoas ficaram feridas, incluindo seis com gravidade, durante os incêndios florestais. Na conferência de imprensa desta tarde, a Proteção Civil explicou que há cinco planos municipais de emergência ativos por causa das chamas.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.