sicnot

Perfil

Desporto

Luís Duque assume que chumbo do sorteio dos árbitros é derrota da Liga

O presidente da Liga de Clubes mostrou-se hoje desiludido com o chumbo do sorteio dos árbitros na Assembleia Geral (AG) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), mas avançando que a decisão não influenciará as eleições da Liga.

SIC

Na reunião magna, os 71 delegados da AG presentes (faltaram 13) reprovaram por larga maioria o sorteio dos árbitros, com 53 votos contra, 17 a favor e uma abstenção, e à saída da sede da FPF, em Lisboa, Luís Duque afirmou querer "mais transparência no que diz respeito à arbitragem".

"No sentido em que viu recusada a retificação do seu regulamento, é uma derrota da Liga, mas eu penso que não podemos ficar por aqui, porque o sinal está dado, a vontade da maioria dos clubes foi aqui manifestada. Aquilo que nós queremos é mais transparência no que diz respeito à arbitragem para salvaguardar a verdade desportiva, é esse o nosso propósito", afirmou.

Duque, que abandonou a sede da FPF antes de terminar a AG, deixou, no entanto, uma mensagem aos clubes que apoiaram a Liga nesta proposta, que, para o presidente da Liga, pretendem "mais rigor e transparência" em "prol da verdade desportiva".

"Alguns clubes deixaram algum sinal daquilo que pretendem, independentemente da solução apresentada a curto prazo. O que eles pretendem é mais rigor e ainda mais transparência, tudo isto em prol da verdade desportiva. Vamos ter de pensar num caminho de diálogo, de concertação, para poder mudar e melhorar", reiterou.

Luís Duque concorre novamente à presidência da Liga de clubes, na terça-feira, tendo o ex-árbitro internacional Pedro Proença como opositor, mas acredita que este chumbo não irá influenciar o ato eleitoral.

Lusa

  • Atrás das Câmaras em Mirandela
    2:36

    Atrás das Câmaras

    A SIC está a percorrer o pais para ouvir as historias dos municípios e dos eleitores. Até às autárquicas, o programa opinião pública dá lugar ao Atrás das Câmaras, que hoje está em Mirandela, no distrito de Bragança, como conta a repórter Catarina Lázaro.

    Hoje na SIC e SIC Notícias

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03
  • "Não é possível fazer tudo ao mesmo tempo"
    0:39

    Orçamento do Estado 2018

    O deputado e economista do PS Paulo Trigo Pereira defende que o desagravamento fiscal que o Governo quer pôr em marcha é "moderado". Em entrevista ao Público e à Renascença, o socialista diz que é preciso realismo e que é uma "alquimia" mexer ao mesmo tempo nas carreiras, pensões e rendimentos dos trabalhadores.

  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15