sicnot

Perfil

Desporto

Vettel vence GP da Hungria, Hamilton reforça liderança no Mundial

Alemão Sebastien Vettel (Ferrari), tetracampeão, venceu hoje o Grande Prémio da Hungria, décima prova do Mundial de Fórmula 1, somando o segundo triunfo na época, o 41.º da carreira.

© Bernadett Szabo / Reuters

Vettel, que em 2015 tinha ganho o Grande Prémio da Malásia, cortou a meta no circuito de Hunraroring, em Budapeste, à frente dos dois pilotos da Red Bull: o russo Daniil Kvyat, que subiu pela primeira vez na carreira ao pódio, e o australiano Daniel Ricciardo.

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes), campeão em título e líder do Mundial de pilotos, terminou na sexta posição, enquanto o alemão Nico Rosberg, colega de equipa de Hamilton e segundo no Mundial, foi oitavo.

Quando faltam nove provas para fechar a época, Hamilton mantem a liderança do Mundial, agora com 202 pontos, seguido de Rosberg, com 181, e Vettel, com 160.

A próxima prova, o Grande Prémio da Bélgica, disputa-se a 23 de agosto, no circuito de Spa-Francorchamps.

Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.