sicnot

Perfil

Desporto

Federação italiana aceita inscrição do Parma nos escalões amadores

A Federação Italiana de Futebol aprovou esta segunda-feira a inscrição do Parma nos escalões amadores do futebol italiano, depois de nenhum comprador ter apresentado uma proposta de compra do clube, que se encontra em processo de falência.

Fundado em julho de 1913, o Parma foi despromovido ao segundo escalão, depois de ter terminado a Liga italiana no último lugar, numa temporada em que lhe foram deduzidos pontos em vários ocasiões, por dívidas ao estado e aos jogadores e restante 'staff'. (Arquivo)

Fundado em julho de 1913, o Parma foi despromovido ao segundo escalão, depois de ter terminado a Liga italiana no último lugar, numa temporada em que lhe foram deduzidos pontos em vários ocasiões, por dívidas ao estado e aos jogadores e restante 'staff'. (Arquivo)

© Alessandro Garofalo / Reuters

O clube, que adotará a designação "Parma Calcio 1913", terá de formalizar a sua inscrição até 04 de agosto, adiantou a federação em comunicado.

O vice-presidente do novo clube, Marco Ferrari, saudou a perspetiva de reinício da atividade da formação, afirmando: "Finalmente podemos começar. Não há tempo a perder porque temos muito trabalho pela frente".

Fundado em julho de 1913, o Parma foi despromovido ao segundo escalão, depois de ter terminado a Liga italiana no último lugar, numa temporada em que lhe foram deduzidos pontos em vários ocasiões, por dívidas ao estado e aos jogadores e restante 'staff'.

Sem um comprador, o Parma, que este ano contou com os portugueses Pedro Mendes e Silvestre Varela, enfrentava já a perspetiva de ser relegado para a Série D, quarto escalão do futebol italiano.

Chegou a ser noticiada a possibilidade do italo-americano Mike Piazza e do italiano Giuseppe Corrado avançarem com propostas, mas acabaram por não se concretizar.

Apesar de nunca ter vencido a Liga italiana, o Parma conquistou duas Taças UEFA, três Taças de Itália, um Supertaça Europeia e uma Taça das Taças.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.