sicnot

Perfil

Desporto

Presidente da Federação felicita Proença e fala em "desafio muito exigente"

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol afirmou hoje que Pedro Proença tem um "desafio muito exigente" à frente da Liga de clubes e desejou "a melhor sorte no desempenho das altas funções" para as quais foi eleito.

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes. (Arquivo)

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes. (Arquivo)

LUSA

Numa nota publicada no site oficial da FPF, Fernando Gomes felicitou Proença pela vitória sobre Luís Duque e referiu que, findo o ato eleitoral, os clubes que compõem a Liga devem caminhar no sentido de um organismo "solidário, unido e mais forte".

"Pedro Proença terá pela frente um desafio novo e muito exigente. Vice-presidente da FPF por inerência da eleição, estou certo de que trabalharemos em conjunto para encontrarmos as melhores soluções para o futebol português", afirmou Fernando Gomes.

O dirigente máximo da FPF deixou ainda um "agradecimento" a Luís Duque, que assumiu o cargo de presidente da Liga de Clubes durante nove meses numa "conjuntura especialmente difícil para o futebol português".

O ex-árbitro Pedro Proença foi eleito presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), batendo o antigo líder do organismo Luís Duque por nove votos.

Pedro Proença recebeu 32 votos, contra 23 de Luís Duque, recebendo o apoio de 12 dos 18 clubes da I Liga, que tinham direito a dois votos, e oito dos emblemas da II Liga.

Em Luís Duque, que tinha sido eleito a 27 de outubro de 2014, votaram seis clubes do primeiro escalão e 11 do segundo.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • Governo quer que preço da energia deixe de ser superior ao resto da Europa
    1:38

    Economia

    O preço da luz vai descer para as famílias já a partir de janeiro, o que não acontece há 17 anos. É uma descida quase simbólica, de 0,2%. Ainda assim, o secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, disse, em entrevista na SIC Notícias, que é um sinal e que, até ao final da legislatura, o Governo quer que o país deixe de praticar preços superiores à média europeia.