sicnot

Perfil

Desporto

Platini candidato à presidência da FIFA

O atual presidente da UEFA e vice-presidente da FIFA anunciou hoje a sua candidatura à sucessão no cargo de Joseph Blatter. Michel Platini escreveu uma carta às várias federações de futebol europeias pedindo o seu apoio. As eleições estão marcadas para 26 de fevereiro de 2016,

© Charles Platiau / Reuters

"É uma decisão muito pessoal, cuidadosamente ponderada, que implicou uma avaliação do futuro do futebol e do meu próprio percurso. É igualmente a consequência das calorosas manifestações de estima, apoio e incentivo que muitos de vós me demonstraram", escreveu Platini numa carta enviada às 209 federações filiadas na FIFA, publicada no sítio oficial da UEFA na Internet.

Prometendo "total dedicação à causa do futebol", o antigo futebolista explicou que o seu "percurso de vida se cruza com os acontecimentos que traçam o futuro da FIFA".

"Há alturas na vida em que é necessário tomarmos o destino nas nossas mãos", disse o presidente da UEFA.

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.