sicnot

Perfil

Desporto

Pedro Proença toma hoje posse como presidente da Liga

Pedro Proença toma hoje posse como presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), depois de ter derrota Luís Duque nas eleições, realizadas na terça-feira.

O antigo árbitro internacional, que dirigiu as finais da Liga dos Campeões e do Europeu em 2012, recebeu 32 votos, contra 23 de Luís Duque, recebendo o apoio de 12 dos 18 clubes da I Liga, que tinham direito a dois votos, e oito dos emblemas da II Liga.

Proença sucede no cargo exatamente a Luís Duque, que, a 27 de outubro de 2014, tinha sido eleito, após uma conturbada liderança de Mário Figueiredo.

Numa cerimónia, marcada para as 19:00, na sede da Liga de clubes, também tomam posse os restantes órgãos sociais da instituição, com destaque para o facto de a Assembleia Geral e de o Conselho Fiscal serem liderados por elementos indicados por Luís Duque.

Além do cargo de presidente também houve duas listas para o Conselho Jurisdicional, com Américo Esteves, apoiado por Proença, ser eleito presidente de um órgão que terá sete elementos de cada uma das listas.

Lusa

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.