sicnot

Perfil

Desporto

Pinto da Costa "satisfeito" com eleição de Proença para presidência da Liga

O presidente do FC Porto manifestou-se esta quinta-feira "satisfeito" com a eleição de Pedro Proença para a presidência da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, considerando que o ex-árbitro traz "prestígio internacional" ao organismo.

(Arquivo)

(Arquivo)

Lusa

"Quando apoiamos um candidato e ele vence da forma tão clara como o Pedro Proença venceu, é natural que fique satisfeito. O apoio não surgiu por uma questão de amizade ou de relação especial, que não tinha nem tenho, mas porque entendi que a Liga precisava de uma pessoa com prestígio internacional. Ninguém no mundo do futebol português tem mais prestígio do que o Dr. Pedro Proença", disse, citado na página do FC Porto na Internet.

Pinto da Costa destacou ainda a circunstância de caber por inerência a Proença o cargo de vice-presidente da FPF.

"Tenho a certeza de que irá estar nas reuniões, debater as questões e não deixará que as coisas passem de qualquer maneira, em prejuízo dos clubes", disse.

Pedro Proença tomou hoje posse como presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), depois de ter derrotado Luís Duque nas eleições, realizadas na terça-feira.

O antigo árbitro internacional, que dirigiu as finais da Liga dos Campeões e do Europeu em 2012, recebeu 32 votos, contra 23 de Luís Duque, recebendo o apoio de 12 dos 18 clubes da I Liga, que tinham direito a dois votos, e oito dos emblemas da II Liga.

Proença sucede no cargo exatamente a Luís Duque, que, a 27 de outubro de 2014, tinha sido eleito, após uma conturbada liderança de Mário Figueiredo.

Lusa

  • Rebeldes sírios e Daesh confrontam-se na cidade de Al-Bab
    0:44

    New Articles

    Depois da operação militar da Turquia na cidade síria Al-Bab, os rebeldes sirios retomam os confrontos diretos com militantes do Daesh. Foram hoje reveladas imagens publicadas numa rede social, que mostram a cidade de Al-Bab, um dos principais alvos dos combates entre a Turquia e o aliados ocidentais, o Daesh e alguns dos rebeldes que lutam contra o regime de Bashar Al-Assad.