sicnot

Perfil

Desporto

Confederação Brasileira de Futebol confirma dopagem de Fred na Copa América

O internacional brasileiro Fred, que joga no Shakhtar Donetsk, da liga ucraniana de futebol, teve um controlo antidoping positivo, por diurético proibido, durante a Copa América, confirmou esta sexta-feira a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Fred, de 22 anos, negara, em comunicado, ter-se dopado no torneio sul-americano.

Fred, de 22 anos, negara, em comunicado, ter-se dopado no torneio sul-americano.

© Paulo Whitaker / Reuters

A CBF refere, em comunicado, que o relatório recebido da confederação sul-americana (Conmebol) identifica a presença de hidrocloriatizida (hctz), que não faz parte da lista autorizada e utilizada pela seleção brasileira.

Os médicos da CBF negaram expressamente que a hidrocloriatizida - diurético proibido por poder ser mascarante de outra substância que altere o rendimento desportivo - se encontrasse entre os medicamentos enviados para o Chile, onde decorreu a Copa América.

Fred, de 22 anos, negara antes, em comunicado, ter-se dopado no torneio sul-americano: "nunca utilizei uma substância ilícita. Vou tentar provar a minha inocência nos organismos competentes. Tenho um percurso limpo no futebol e conto com o apoio de todos".

Na Copa América, Fred foi convocado de última hora para substituir o lesionado Luiz Gustavo. Foi titular contra o Peru e a Colômbia, antes de passar para suplente frente à Venezuela e Paraguai.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão