sicnot

Perfil

Desporto

Gesto obsceno de Paulo Machado vale 100.000 euros de multa

O gesto do dedo médio em riste com que o futebolista Paulo Machado brindou na terça-feira os adeptos do seu Dínamo de Zagreb vai custar-lhe 100.000 euros de multa, embora o português vá permanecer no campeão croata.

© Jean Philippe Arles / Reuters

"Alegra-nos que depois da sanção pelo seu gesto irracional, Paulo Machado continue no clube, pois trata-se de um futebolista que dá sempre tudo em campo e que é muito querido pelos seus colegas, principalmente pelo seu sentido de humor", disse o treinador, Zoran Mamic.

Aos 65 minutos do jogo da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões frente aos noruegueses do Molde, Paulo Machado foi substituído, momento em que foi apupado por vários adeptos: respondeu com o gesto obsceno, que repetiu já fora do terreno de jogo, altura em que a equipa de arbitragem se apercebeu do sucedido e o expulsou com vermelho direto.

"Cometi um grande erro e gostaria de pedir desculpas aos fãs, ao presidente, treinador, a toda a equipa e minha família. Foi um momento mau. Faço notar que me arrependo e vou mostrar em campo o quanto respeito os adeptos do Dínamo", disse Machado.

Paulo Machado foi suspenso na quarta-feira por tempo indeterminado e o treinador revelou que a multa de 100.000 euros é destinada a fins de solidariedade.

"Vai continuar cá assumindo as consequências dos seus atos. Toda a equipa quer que fique, mas é claro que vai ser punido pelos danos causados à equipa e a si próprio", completou o treinador.

Lusa

  • Explosão em Leicester destrói loja e apartamento

    Mundo

    Uma forte explosão, seguida de uma incêndio, terá destruído este domingo um estabelecimento comercial e um apartamento em Leicester, no Reino Unido. Não há vítimas a registar. As autoridades ainda não sabem o que poderá estar na origem da explosão.

    Em atualização

  • "Vejam a cor da seara: a parte mais amarela é provocada pelo stress"
    2:20
  • Rogério Alves "perplexo" com nomeação de Elina Fraga
    1:52

    País

    O antigo bastonário da Ordem dos Advogados, Rogério Alves, admite que ficou "perplexo" com a escolha de Elina Fraga para vice-presidente do PSD. Em entrevista ao DN e à TSF Rogério Alves acusa a também ex-bastonária de defender sempre o contrário do PSD e de se opor à modernização e simplificação da justiça.

  • "Matavam as crianças a tiro", os relatos de rohingyas que fugiram de Myanmar
    2:02
  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39