sicnot

Perfil

Desporto

Nice apresenta queixa na FIFA contra o FC Porto

O Nice, da liga francesa de futebol, vai apresentar uma queixa na FIFA contra o FC Porto, que acusa de não ter respeitado os seus direitos aquando da transferência de Carlos Eduardo para o Al Hilal, da Arábia Saudita.

Segundo Julien Fournier, diretor geral do Nice, no contrato do brasileiro, que representou os franceses na última época, por empréstimo, haveria cláusulas de opção de compra de preferência, pelo que o FC Porto estava obrigado a informar o clube gaulês de qualquer oferta que surgisse para a transferência definitiva do futebolista. (Arquivo)

Segundo Julien Fournier, diretor geral do Nice, no contrato do brasileiro, que representou os franceses na última época, por empréstimo, haveria cláusulas de opção de compra de preferência, pelo que o FC Porto estava obrigado a informar o clube gaulês de qualquer oferta que surgisse para a transferência definitiva do futebolista. (Arquivo)

© Eric Gaillard / Reuters

Segundo Julien Fournier, diretor geral do Nice, no contrato do brasileiro, que representou os franceses na última época, por empréstimo, haveria cláusulas de opção de compra de preferência, pelo que o FC Porto estava obrigado a informar o clube gaulês de qualquer oferta que surgisse para a transferência definitiva do futebolista.

"Isso significa que o Porto teria de nos informar de qualquer proposta de compra para que pudessemos ou não mostrar o nosso interesse. Se o fizessemos, seríamos prioritários por valor igual", explicou Fournier, em declaraçãos à agência AFP.

Por outro lado, o Nice defende que tem direito a 10 por cento do montante da transferência, cujo valor não foi tornado público. Segundo várias fontes, poderá ser de 10 milhões de euros.

O advogado do Nice deverá apresentar o caso na Câmara de Litígios da FIFA já na próxima semana.

Lusa

  • Banco de Portugal mais otimista
    1:17
  • Catalunha vs Espanha
    29:35
  • Empate técnico a uma semana das eleições na Catalunha

    Mundo

    A sete dias das eleições regionais catalãs, várias sondagens publicadas hoje indicam que os partidos constitucionalistas estão à frente nas intenções de voto, mas os independentistas ganham em número de lugares, sem nenhum dos blocos ter maioria absoluta.