sicnot

Perfil

Desporto

Dzemal Hadziabdic abandona Iraque antes de assumir cargo de selecionador

O treinador bósnio Dzemal Hadziabdic abandonou o Iraque, antes de ser apresentado como selecionador de futebol e um dia depois de ter chegado ao país, revelou hoje a federação iraquiana.

© Fadi Al-Assaad / Reuters

O técnico bósnio, de 62 anos, também conhecido como Jamal Haji chegou a Bagdad na sexta-feira, treinou várias equipas no Golfo Pérsico e deveria assinar hoje um contrato com a federação iraquiana de futebol, antes de ser apresentado como selecionador.

"Fomos surpreendidos pela recusa do Jamal Haji, que pediu para regressar ao seu país imediatamente. Tudo estava a correr como planeado, ele assinaria hoje o contrato e depois seria apresentado à comunicação social", explicou o porta-voz da federação iraquiana Kamel Zghayr à agência AFP.

Além disso, estava ainda previsto que o técnico orientasse hoje um treino, antes de iniciar um estágio de dez dias no Qatar.

Na sexta-feira, quando chegou a Bagdad, Haji, que orientou a seleção da Jugoslávia entre 1974 e 1978, expressou o seu entusiasmo com a oportunidade de ser o novo selecionador do Iraque, em declarações à imprensa local.

Lusa

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Os Simpsons já sabiam em 1998 que a Fox iria pertencer à Disney

    Cultura

    Os Simpsons acertaram outra vez. Algo que tem acontecido regularmente nos últimos tempos, com a eleição de Donald Trump, o aparecimento do vírus Ébola ou o escândalo dos Panama Papers. Desta vez, a previsão remonta a 1998, quando a série previu que a 20th Century Fox iria pertencer à Disney.

    SIC