sicnot

Perfil

Desporto

IAAF considera notícias sobre doping "sensacionalistas e enganadoras"

A IAAF classificou esta quarta-feira de "sensacionalistas e enganadoras" as notícias sobre doping no atletismo publicadas esta semana pelo diário inglês Sunday Times e pelo canal alemão ARD, defendendo que "a suspeita por si só não vale como prova".

Em comunicado, a Associação Internacional de Federações de Atletismo sublinha que os resultados a que se faz referência "não são controlos antidoping positivos, e que de resto a ARD e o Sunday Times reconhecem que as suas avaliações não valem como prova". (Arquivo)

Em comunicado, a Associação Internacional de Federações de Atletismo sublinha que os resultados a que se faz referência "não são controlos antidoping positivos, e que de resto a ARD e o Sunday Times reconhecem que as suas avaliações não valem como prova". (Arquivo)

© Reuters Staff / Reuters

Em comunicado, a Associação Internacional de Federações de Atletismo sublinha que os resultados a que se faz referência nas reportagens "não são controlos antidoping positivos, e que de resto a ARD e o Sunday Times reconhecem que as suas avaliações não valem como prova".

Nas reportagens referia-se que as amostras sanguíneas de 800 atletas de topo apresentavam "valores suspeitos ou altamente suspeitos", sugerindo um processo generalizado de dopagem de grande amplitude.

Nomeadamente, é referido que no meio-fundo (800 metros a maratona) um terço dos medalhados olímpicos e mundiais entre 2001 e 2012 estaria nesse grupo, sem que no entanto qualquer nome seja avançado.

A ARD, no sábado, e a edição de domingo do Times basearam-se na análise de 12 mil exames sanguíneos naqueles 12 anos, envolvendo cinco mil atletas, que fazem parte de uma base de dados da IAAF.

A investigação recorre ao depoimento dos especialistas australianos Michael Ashenden e Robin Parisotto, que criaram o método de deteção da EPO. Parisotto diz mesmo que a situação no atletismo poderá ser equivalente à que se viveu no ciclismo, há 10 ou 15 anos.

Na resposta da IAAF também se recorre a um especialista, o hematologista Giuseppe D'Onofrio, que critica "os atalhos, a abordagem simplista e o sensacionalismo, quando está em jogo a carreira de atletas". D'Onofrio foi um dos cientistas que trabalharam na criação do passaporte biológico, obrigatório para os atletas desde 2009.

Depois dos números avançados pela ARD e o Times, visando nomeadamente o desporto do Quénia e da Rússia, a Agência Mundial Antidopagem manifestou-se domingo "muito preocupada" e segunda-feira Thomas Bach, presidente do COI, reafirmou que no próximo ano se aplicará o princípio de "tolerância zero" para o Rio2016.

Hoje, a IAAF nega que a base de dados de 12 mil análises interpretadas pela ARD e o Times tenha o que quer que seja de "secreta" e diz que ela própria já fez uma "análise detalhada", publicada em 2011 numa revista científica.

A IAAF recorda que esse estudo revelou o mesmo nível de "suspeitas de doping" e que também se notava que a Rússia e o Quénia eram os países com mais casos de amostras "suspeitas".

"Não há um sistema perfeito de apanhar os batoteiros, mas a IAAF está na linha da frente em matéria de controlos antidoping há vários anos. E no quadro do passaporte biológico, um programa pioneiro, mais atletas foram suspensos pela IAAF do que por todas as outras federações e agências antidopagem juntas", refere ainda o comunicado.

Depois, a IAAF avança com números globais: mais de 19 mil testes sanguíneos desde 2001, dos quais 11 mil desde 2009 e a introdução do passaporte biológico.

No total, 141 atletas tiveram positivos por EPO, desde o primeiro caso, em 2001, e 39 foram sancionados desde 2011, com 24 processos ainda em análise.

Lusa

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • Avião divergiu para as Lajes devido a discussão a bordo

    País

    Um avião da companhia aérea British Airways divergiu hoje para o aeroporto das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores, devido a uma discussão a bordo entre um casal de passageiros e a tripulação, informou hoje a Força Aérea Portuguesa.

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e, a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.