sicnot

Perfil

Desporto

AMA vai "investigar urgentemente" recentes alegações de doping no atletismo

A Agência Mundial Antidopagem vai "investigar urgentemente" as alegações de doping generalizado no atletismo de alta competição, avançadas no passado fim de semana pelo jornal Sunday Times e o canal ARD.

© Ruben Sprich / Reuters

A Agência Mundial Antidopagem vai "investigar urgentemente" as alegações de doping generalizado no atletismo de alta competição, avançadas no passado fim de semana pelo jornal Sunday Times e o canal ARD.

Craig Reedie, presidente do organismo internacional de combate ao doping, declarou hoje que a AMA não vai ficar desatenta ao problema e vai propor à sua Comissão Independente que "investigue com urgência" o caso, que surgiu após a análise de uma base de dados de 12 mil testes de sangue a atletas, entre 2001 e 2012.

Segundo a ARD e o Sunday Times, muito desses testes, mesmo sem terem originado casos sancionados de dopagem, revelam valores preocupantes, nomeadamente no caso da Rússia e Quénia, duas potências da modalidade.

"A AMA tem o compromisso de proteger a confidencialidade dos atletas e pediu à sua Comissão Independente que comece com urgência a investigação. Esperamos que a IAAF [Federação Internacional de Atletismo], que formalmente concordou com a total cooperação (...), também esteja empenhada", disse Reedie.

O dirigente da AMA não poupou, no entanto, a forma como a ARD e o Sunday Times orientaram a sua investigação, por poder sugerir dopagem de qualquer atleta que esteja naquela base de dados.

Antes, David Howman, diretor geral a AMA, tinha considerado "imprudente" tirar qualquer conclusão da reportagem e criticou estar-se a acusar atletas. "Uma parte desses dados são anteriores ao Passaporte Biológico, que foi criado em 2009", reforçou, e "não podem ser legalmente ser considerados doping".

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagas as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Presidente da Câmara de Nova Iorque confirma "atentado terrorista falhado"
    0:29
  • Israel volta a bombardear posições do Hamas em Gaza

    Mundo

    O exército israelita voltou a bombardear esta segunda-feira posições do movimento Hamas na Faixa de Gaza em resposta ao lançamento de projéteis em direção a Israel pelas milícias palestinianas, informou um comunicado militar.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.