sicnot

Perfil

Desporto

Suíço François Carrard vai liderar Comité de Reforma da FIFA

O suíço François Carrard foi hoje escolhido pela FIFA para presidir ao Comité de Reforma do organismo que gere o futebol mundial e que deverá apresentar as suas propostas a 26 de fevereiro.

© Arnd Wiegmann / Reuters

"É vital para o futuro do futebol restaurar a integridade e reputação do seu órgão máximo. Como presidente independente comprometo-me a colocar em marcha um pacote de reformas credíveis, trabalhando com representantes do futebol e de toda a sociedade", refere Carrard, num comunicado divulgado pela FIFA.

Carrard, de 77 anos, foi diretor-geral do Comité Olímpico Internacional, tendo liderado grandes reformas no movimento olímpico, nomeadamente depois do escândalo de sobre a escolha de Salt Lake City para os Jogos de inverno 2002.

Em comunicado, a FIFA destaca o "prestígio internacional e a experiência" de François Carrard, que também merece elogios do presidente demissionário do organismo, o também suíço Joseph Blatter.

"Acreditamos que Carrard é a pessoa adequada para liderar o processo de reformas como presidente independente. Tem trabalho feito em reformas de estruturas de governo", refere Blatter, no mesmo comunicado divulgado da FIFA.

Blatter foi reeleito em maio para um quinto mandato, mas acabou por se demitir dias depois na sequência de um escândalo de corrupção. Entretanto, o suíço comprometeu-se a deixar o cargo após as eleições, que deverão realizar-se a 26 de fevereiro.

O comité de reforma integra, além de Carrard, dois representantes nomeados por cada uma das seis confederações que compõem a FIFA.

O grupo de trabalho deverá apresentar um plano prévio ao Comité Executivo da FIFA, que vai reunir a 24 e 25 de setembro.

A FIFA vive 'mergulhada' num escândalo de corrupção, divulgado após uma investigação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, segundo o qual vários dirigentes e ex-dirigentes do organismo estarão envolvidos em atos de conspiração e corrupção nos últimos 24 anos, cujos subornos poderão ascender a 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

O atual presidente da UEFA, Michel Platini, e o empresário sul-coreano Chung Mong-joon, proprietário do grupo Hyundai, já manifestaram a intenção de se candidatar à presidência da FIFA.

Lusa

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.