sicnot

Perfil

Desporto

Bruno de Carvalho admite que Sporting poderá vender jogadores caso falhe 'Champions'

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, assumiu hoje que que o clube poderá ter que vender jogadores, caso falhe o acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões de futebol.

No domingo, Bruno de Carvalho assumiu que foi um "erro" negociar a parceria com a W52 para o regresso do clube 'verde e branco' ao ciclismo e prometeu trabalhar "num projeto que tenha ambição mas onde a ética e a verdade desportiva sejam uma constante". (Arquivo)

No domingo, Bruno de Carvalho assumiu que foi um "erro" negociar a parceria com a W52 para o regresso do clube 'verde e branco' ao ciclismo e prometeu trabalhar "num projeto que tenha ambição mas onde a ética e a verdade desportiva sejam uma constante". (Arquivo)

SIC

"Não podemos ser hipócritas. Entrar na Liga dos Campeões é importantíssimo. Não acontecendo, teremos que nos sentar e pensar um bocadinho. Estamos confiantes e é algo em que não pensamos e que nos passa pela cabeça. Não acontecendo, tomaremos algumas decisões", afirmou Bruno de Carvalho em entrevista à Sport TV.

As primeiras cinco semanas de Jorge Jesus no clube de Alvalade têm deixado o presidente 'leonino' "contente e satisfeito", sobretudo pela "ambição, vontade e trabalho" que o técnico português tem demonstrado.

"É a minha alma gémea na ambição, na vontade e no trabalho. Somos duas pessoas que acreditam nisso. Há muito trabalho pela frente, conseguimos entrar na época para vencer a Supertaça e temos os dois um grau de exigência muito elevado", contou.

Questionado sobre a ausência de um patrocinador para a nova temporada, o dirigente máximo dos 'leões' explicou que a "conjuntura que não está fácil" e por continua à espera de um "valor justo".

"Estamos a fazer valer a marca do Sporting pelo investimento que fizemos e pelo que valemos. Estamos tranquilos à espera de um valor justo e continuaremos a negociar", referiu.

Sobre o arranque da I Liga, Bruno de Carvalho reafirmou que o Sporting é candidato a "todos os títulos em Portugal" e que esta temporada teve o clube teve possibilidade financeira de alcançar os reforços que queria.

"Tivemos possibilidade de ir buscar aquilo que queríamos, mais experiência, mais maturidade e temos a consciência clara de responsabilidade acrescida pelo trabalho de dois anos e meio. São quatro títulos em disputada, um já está e temos três por conquistar. Amanhã [sexta-feira] vamos começar uma maratona", considerou.

O presidente do Sporting espera um campeonato "excelente e bem disputado" e revelou que vai manter-se no banco de suplentes da equipa, pelo menos nos jogos fora do Estádio José Alvalade.

"É onde me sinto melhor, onde posso estar mais à vontade, ainda estou a pensar como será nos jogos em casa, mas fora estarei de certeza no banco", garantiu.

Bruno de Carvalho congratulou-se ainda com as renovações de contrato de João Mário e Slimani e assumiu que a continuidade de Carrillo é um dos "casos prioritários".

"Estamos a trabalhar no dossiê. Vamos com calma", concluiu.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41