sicnot

Perfil

Desporto

Hulk, Kaká e Ramires de regresso à seleção brasileira

Os regressos dos futebolistas Hulk, Kaká e Ramires são as surpresas da convocatória do selecionador Dunga, divulgadas esta quinta-feira, para os jogos particulares que o Brasil vai realizar no inicio de setembro perante a Costa Rica e Estados Unidos.

Kaká e Ramires regressaram às opções de Dunga. (Arquivo)

Kaká e Ramires regressaram às opções de Dunga. (Arquivo)

Themba Hadebe / AP

Os três jogadores regressam à 'canarinha' depois de terem falhado a participação na Copa América, competição em que o Brasil foi eliminado nos quartos de final pelo Paraguai.

Hulk, antigo jogador do FC Porto e atualmente no Zenit São Petersburgo, perdeu espaço na equipa depois do Mundial2014, assim como Ramires, ex-Benfica e jogador do Chelsea.

Apesar de atuar nos Estados Unidos, no Orlando City, Kaká também regressa às opções de Dunga, numa lista de convocados de 24 jogadores que inclui Neymar, que falhou a Supertaça Europeia pela Barcelona devido a papeira.

O Brasil defronta a Costa Rica a 5 de setembro, em New Jersey, nos Estados Unidos, e três dias depois encontra a seleção norte-americana, em Foxborough.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18