sicnot

Perfil

Desporto

Advogado de Jorge Jesus nega irregularidades e fala em "consciência tranquila"

O advogado do treinador Jorge Jesus, Luís Miguel Henrique, garantiu hoje que o treinador da equipa de futebol do Sporting não cometeu qualquer irregularidade na saída do Benfica e que está de "consciência tranquila", apenas focado no trabalho.

© Hugo Correia / Reuters

"Jorge Jesus está de consciência tranquila, pois não só no Benfica, mas em todos os clubes que representou, sempre cumpriu escrupulosamente, e da maneira mais leal, com todos os contratos que assinou. Está tranquilo, seguro e com a razão legal do seu lado", disse à Lusa o representante do técnico.

Depois de o Benfica ter confirmado hoje que não pagou o último mês de salário a Jesus por este ter alegadamente rescindido o contrato unilateralmente, sustentando que durante o mês de junho o treinador "trabalhou para outra entidade", o representante jurídico do técnico 'leonino' afirma que o comportamento do treinador nada teve de irregular e questiona o 'timing' de nova polémica, que na sua ótica tem como objetivo destabilizar o treinador.

"O Jorge jesus não fez nada de irregular. Em junho, antes de ir de férias, como qualquer pessoa, acautelou o seu futuro profissional e no início de junho assinou um contrato com o Sporting com efeito a partir do dia 01 de julho. O que posso questionar é a data das notícias, que não é inocente. Os tribunais estão fechados e nada pode ser feito entretanto, por isso penso que isto foi, uma vez mais, uma forma de destabilização", disse.

Em duas semanas, esta é a segunda polémica a envolver o nome de Jorge Jesus, já que na véspera do jogo de estreia do campeonato, frente ao Tondela, surgiram notícias de alegadas mensagens que o treinador teria enviado a jogadores do Benfica.

Já hoje, um dia antes do Sporting defrontar o CSKA no 'play-off' de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, o Benfica, pela voz do diretor de comunicação, João Gabriel, surgiu a 'reclamar' uma indeminização de 7,5 milhões de euros prevista no contrato em caso de rescisão unilateral do contrato.

Treinador do Benfica nos últimos seis anos, Jorge Jesus deixou o clube como bicampeão nacional e rumou ao grande rival lisboeta, ao serviço do qual já ganhou a Supertaça, precisamente em confronto com os 'encarnados' (1-0).

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite