sicnot

Perfil

Desporto

Ciani justifica saída do Sporting por não ter havido ligação com Jesus

O futebolista francês Michael Ciani, reforço do Espanyol, revelou esta segunda-feira que saiu do Sporting a bem, depois de ter falado com Jorge Jesus, treinador que nunca chegou a convencer.

"Não houve ligação com o treinador [Jorge Jesus] e falámos amigavelmente. Falei-lhe da minha vontade de jogar em Espanha e não houve nenhum problema para rescindir contrato", referiu o defesa central. (Arquivo)

"Não houve ligação com o treinador [Jorge Jesus] e falámos amigavelmente. Falei-lhe da minha vontade de jogar em Espanha e não houve nenhum problema para rescindir contrato", referiu o defesa central. (Arquivo)

© Alessandro Garofalo / Reuters

"Não houve ligação com o treinador [Jorge Jesus] e falámos amigavelmente. Falei-lhe da minha vontade de jogar em Espanha e não houve nenhum problema para rescindir contrato", referiu o defesa central.

Ciani assegurou que está em "perfeitas condições" e que o facto de não ter ficado no Sporting em nada teve a ver com uma suposta falta de condução física.

O jogador lembrou o que tem sido a sua carreira, na Liga francesa (RCF Paris, Auxerre, Sedan, Lorient e Bordéus), na italiana (Lazio) e agora na espanhola, que considera o melhor campeonato do mundo.

O central tinha assinado pelo Sporting, a custo zero, depois de ter terminado contrato com a Lazio, mas o seu futuro passará agora pelo Espanyol, clube com o qual assinou por duas temporadas.

O francês, de 1,92 metros, considerou ser um "jogador forte na defesa, com bom jogo aéreo", mas que pode também ajudar a equipa na "estratégia ofensiva".

O clube espanhol adiantou que não pagará nada ao Sporting, mas o clube português ficará com o direito de 25 por cento numa futura transferência, depois de já hoje também os 'verdes e brancos' terem confirmado os moldes do negócio.

"A Sporting Clube de Portugal, SAD, informa que chegou a acordo com o Espanyol para a transferência definitiva do atleta Michael Ciani, ficando ainda com 25% dos direitos económicos do jogador", afirmou o clube 'leonino', na sua página oficial de Facebook, desejando as maiores felicidades pessoais e profissionais ao jogador francês.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.