sicnot

Perfil

Desporto

Sul-coreano Chung Mong-Joon formaliza corrida à presidência da FIFA

O sul-coreano Chung Mong-Joon formalizou hoje a sua candidatura à presidência da FIFA, com críticas ao presidente cessante, Joseph Blatter, e a promessa de reformar nos próximos quatro anos organismo, abalado por escândalos.

© Kim Hong-Ji / Reuters


"Hoje a FIFA atravessa uma crise profunda. Neste contexto o presidente da FIFA deve ser um gestor de crises e um reformador", disse Mong-Joon, antigo vice-presidente da FIFA e proprietário da Hyundai.

O milionário, de 63 anos, falou em conferência de imprensa em Paris, salientando que a FIFA está atolada em corrupção e que tudo o que interessa ao poder instalado é esconder essa corrupção.

"O verdadeiro motivo pelo qual a FIFA se tornou uma organização corrupta tem a ver com o facto de a mesma pessoa [Blatter] estar lá há 40 anos. O poder absoluto corrompe tudo", afirmou.

Chung Mong-Joon prometeu ainda que caso seja eleito só cumprirá um mandato à frente da FIFA, considerando que bastam quatro anos para mudar o organismo.

O presidente da UEFA, Michel Platini, e o antigo internacional brasileiro Zico já anunciaram também que são candidatos a liderar o organismo.

O príncipe jordano Ali bin Al Hussein, antigo vice-presidente da FIFA, ainda considera a possibilidade de concorrer às eleições de 26 de fevereiro de 2016.

No anúncio de hoje Mong-Joon considerou que Platini não será um bom candidato, lembrando as relações que manteve com Blatter, chegando a ser um protegido do suíço, embora tenha salientado ser amigo do ex-internacional francês.

Lusa


"Hoje a FIFA atravessa uma crise profunda. Neste contexto o presidente da FIFA deve ser um gestor de crises e um reformador", disse Mong-Joon, antigo vice-presidente da FIFA e proprietário da Hyundai.

O milionário, de 63 anos, falou em conferência de imprensa em Paris, salientando que a FIFA está atolada em corrupção e que tudo o que interessa ao poder instalado é esconder essa corrupção.

"O verdadeiro motivo pelo qual a FIFA se tornou uma organização corrupta tem a ver com o facto de a mesma pessoa [Blatter] estar lá há 40 anos. O poder absoluto corrompe tudo", afirmou.

Chung Mong-Joon prometeu ainda que caso seja eleito só cumprirá um mandato à frente da FIFA, considerando que bastam quatro anos para mudar o organismo.

O presidente da UEFA, Michel Platini, e o antigo internacional brasileiro Zico já anunciaram também que são candidatos a liderar o organismo.

O príncipe jordano Ali bin Al Hussein, antigo vice-presidente da FIFA, ainda considera a possibilidade de concorrer às eleições de 26 de fevereiro de 2016.

No anúncio de hoje Mong-Joon considerou que Platini não será um bom candidato, lembrando as relações que manteve com Blatter, chegando a ser um protegido do suíço, embora tenha salientado ser amigo do ex-internacional francês.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.