sicnot

Perfil

Desporto

Blatter acusa candidato Chung Mong-Joon de desrespeitar a FIFA

O presidente demissionário da FIFA, Joseph Blatter, acusou hoje o sul-coreano Chung Mong-Joon, candidato à sua sucessão, de ter "desrespeitado" todos os membros do organismo.

© Pascal Rossignol / Reuters

Em comunicado, Blatter manifestou-se "perturbado" com as acusações de corrupção do sul-coreano, que apresentou oficialmente na segunda-feira a candidatura à presidência da FIFA.

Nessa cerimónia, o magnata sul-coreano não poupou Joseph Blatter, um homem que está no poder "há 40 anos e o poder absoluto corrompe tudo".

"Sinto-me perturbado ao ouvir o senhor Chung Mong-Joon a descrever a FIFA como uma organização corrupta. Ele não pode esquecer-se que foi vice-presidente da FIFA e membro do Comité de Emergência entre 1994 e 2011", recordou o ainda líder da FIFA.

Blatter fez questão de "enfatizar" que a sua equipa continua a trabalhar "para atingir os mais altos padrões de gestão, ao serviço do futebol mundial".

O presidente da UEFA, Michel Platini, e o antigo internacional brasileiro Zico já anunciaram também que são candidatos a liderar o organismo.

O príncipe jordano Ali bin Al Hussein, antigo vice-presidente da FIFA, ainda considera a possibilidade de concorrer às eleições de 26 de fevereiro de 2016.

A FIFA vive 'mergulhada' num escândalo de corrupção, divulgado após uma investigação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, segundo o qual vários dirigentes e ex-dirigentes do organismo estarão envolvidos em atos de conspiração e corrupção nos últimos 24 anos, cujos subornos poderão ascender a 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.