sicnot

Perfil

Desporto

Liedson eternizado na calçada da fama do Corinthians

O ex-futebolista Liedson, antigo internacional português e uma das principais figuras do Sporting durante a primeira década do século XXI, vai ser eternizado na calçada da fama do Corinthians, anunciou hoje o clube brasileiro.

Liedson está no top 5 dos atletas mais pesquisados. Ocupa, precisamente, o quinto posto.

Liedson está no top 5 dos atletas mais pesquisados. Ocupa, precisamente, o quinto posto.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

No seu sítio oficial na internet, o emblema de São Paulo revelou que o 'levezinho', como era conhecido, vai ser homenageado no domingo durante o intervalo do encontro do campeonato brasileiro frente ao Cruzeiro, na Arena Corinthians.

"Liedson irá ao relvado e marcará o pé na calçada da fama, juntando-se a outros diversos ídolos alvinegros que já estão eternizados no Memorial localizado no Parque São Jorge. Em duas passagens pelo Corinthians (2003 e 2011 a 2012), Liedson entrou em campo 111 vezes e fez 50 golos, além de conquistar os títulos do Paulistão (2003), Brasileirão (2011) e Taça Libertadores (2012)", lê-se na nota.

Nascido no estado da Bahia, no Brasil, Liedson ingressou no Sporting em 2003 e acabou por vestir a camisola 'leonina' durante oito temporadas, de 2003/04 a 2010/11, tornando-se uma das principais figuras do clube no começo do novo século, com 313 jogos e 183 golos.

Após adquirir a nacionalidade portuguesa, o avançado representou a 'seleção das quinas' em 15 ocasiões, tendo marcado quatro golos.

Em 2013/14, Liedson passou a segunda metade de temporada no FC Porto, naquele que seria o seu último clube como jogador profissional.

Lusa

  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite