sicnot

Perfil

Desporto

Hamilton vence, mas diz que "ainda é cedo" para falar no título de Fórmula 1

O campeão mundial Lewis Hamilton (Mercedes) alcançou hoje no circuito de Spa-Francorchamps a sua 39.ª vitória na Fórmula 1, sexta da época, impondo-se com tranquilidade no Grande Prémio da Bélgica, 11.ª prova do Mundial.

© Yves Herman / Reuters

Hamilton, que no sábado tinha garantido a 10.ª 'pole' da temporada, comandou a prova com tranquilidade desde o início, completando as 43 voltas ao circuito belga em 1:23.40,887 horas, e consolidando a liderança do mundial de pilotos.

O alemão Nico Rosberg terminou na segunda posição, a 2.058 segundos de Hamilton, permitindo uma "dobradinha" da Mercedes.

A oito provas do final do campeonato e com mais 28 pontos do que Rosberg, que é segundo do Mundial de pilotos, o britânico, que já tinha vencido na Bélgica em 2010 com a McLaren, considera que ainda é cedo para falar no título.

"Ainda é muito cedo para falar disso [do título mundial]. A chave para o sucesso é ir transformando poles em vitórias. Foi isso que aconteceu aqui", disse o britânico, que conquistou o seu primeiro título mundial em 2008.

Hamilton garantiu ter vivido um fim de semana bastante positivo e admitiu ter reduzido a velocidade quando viu rebentar um pneu de Sebastian Vettel (Ferrari), que "empurrou" o alemão para o 12.º lugar da classificação.

"Foi um fim de semana fantástico. Quando vi um dos pneus dos outros carros rebentar, fui muito cauteloso", disse, admitindo que isso permitiu a aproximação do seu colega de equipa.

Rosberg considerou que Hamilton foi "um justo vencedor" e reconheceu ter "errado no início da prova".

O francês Romain Grosjean (Lotus) terminou a prova na terceira posição, a 37,988 segundos de Hamilton, depois de ter largado da oitava posição da grelha.

Grosjean, que conseguiu o primeiro pódio do ano, foi ganhando posições e entrou na penúltima volta no quarto posto, atrás de Vettel.

O alemão foi obrigado a reduzir drasticamente a velocidade depois do rebentamento de um pneu, permitindo a subida do piloto da Lotus ao pódio.

O russo Daniil Kvyat (Renault) terminou em quarto, seguido por Sergio Pérez (Force India) e pelo brasileiro Filipe Massa (Wlliams).

Após 11 corridas, a Mercedes lidera a classificação de construtores, com 426, seguida de Ferrari e Williams, com 242 e 161, respetivamente.

A próxima prova do Mundial de Fórmula 1, o Grande Prémio de Itália, disputa-se a 06 de setembro, no circuito de Monza.

Lusa

  • "Sinto-me como quem leva uma sova monumental"
    0:30
  • Temperaturas vão subir até 4ª feira

    País

    As temperaturas vão subir até esta quarta-feira, prevendo-se máximas entre os 22 e os 29 graus na generalidade do território, valores acima do normal para a época do ano, adiantou hoje a meteorologista Maria João Frada.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Equipa responsável por renovação da Proteção Civil ainda não é conhecida
    2:45

    País

    A constituição da unidade de missão que deverá entrar esta segunda-feira em funções para concretizar a reforma dos sistemas de prevenção e combate a incêndios ainda não é conhecida. A equipa de trabalho anunciada por António Costa será responsável por pôr de pé o novo sistema de Proteção Civil, aprovado no Conselho de Ministros extraordinário de sábado.

  • "Quero unir o PSD depois de o clarificar"
    1:17
  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.