sicnot

Perfil

Desporto

Presidente da comissão de reformas da FIFA diz que Blatter está a ser injustiçado

O advogado suíço François Carrard, que preside à comissão de reformas da FIFA desde julho, afirmou que o presidente do organismo que rege o futebol mundial, o seu compatriota Joseph Blatter, está a ser "tratado injustamente".

Tsafrir Abayov

"Há qualquer coisa de injusta na forma como ele [Blatter] é tratado. Eu digo-o com total independência. Ele está a ser queimado. Terá, certamente, cometido erros, mas também fez coisas positivas", afirmou Carrard, em entrevista ao jornal suíço Le Matin Dimanche.

Carrard lidera a comissão de reformas da FIFA, para a qual foi designado a 20 de julho pelo presidente demissionário do organismo, tendo como 'missão' apresentar propostas ao congresso eletivo extraordinário de 26 de fevereiro de 2016, em Zurique.

"Se falamos de corrupção...Eu tenho todos os processos norte-americanos. Na acusação, não há uma palavra contra ele. Nada", referiu Carrard, considerando que Blatter é "um homem tratado injustamente".

O causídico helvético acrescentou que "não é realista" imaginar uma refundação da FIFA, a partir do zero.

"Eu sou um homem do desporto internacional que pretende que as organizações sejam bem geridas. Não tenho qualquer intenção de colocar uma bomba, mas sim quero desarmá-la", rematou Carrard.

A FIFA foi atingida no final de maio por um escândalo de corrupção que levou Joseph Blatter a apresentar a demissão.

O escândalo rebentou quando, a 27 de maio, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos indiciou nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da FIFA, acusando-os de associação criminosa e corrupção nos últimos 24 anos, num caso em que estarão em causa subornos no valor de 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

A acusação surgiu depois de o Ministério da Justiça e a polícia da Suíça terem detido sete membros da FIFA, num hotel de Zurique.

Dois dias depois, apesar do escândalo, Joseph Blatter, de 79 anos, foi reeleito para um quinto mandato à frente do organismo, mas acabou por se demitir.

Lusa

  • Ministra tem condições para ficar?
    1:57
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • Os testemunhos emocionados de quem perdeu quase tudo nos fogos
    2:10
  • A primeira moção de censura ao fim de quase dois anos
    1:42

    País

    O CDS-PP avançou com uma moção de censura ao Governo, perante o que chama de falha do Governo na proteção das pessoas. O PSD apoia a iniciativa. António Costa fala num ato natural da democracia. Esta é a primeira moção de censura que o Governo socialista enfrenta ao fim de quase dois anos de mandato.

  • "Agora é tempo de decidir e executar"
    1:27

    País

    O primeiro-ministro reuniu-se esta terça-feira com os autarcas das zonas mais afetadas pelos incêndios e visitou os feridos, que continuam internados no Hospital de Coimbra. António Costa diz que o tempo das respostas começa agora.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.