sicnot

Perfil

Desporto

Hoje é dia de ver Nelson Évora lutar por medalha nos mundiais

Nelson Évora disputa hoje a final do triplo salto dos Mundiais de atletismo, em Pequim, no mesmo local onde há sete anos conquistou a medalha de ouro olímpica.

© Dominic Ebenbichler / Reuters

O português não é apontado como candidato aos dois primeiros lugares - tal é a vantagem do cubano Pichardo e do norte-americano Taylor - mas na luta para o terceiro lugar há que contar com ele, como provou nas qualificações de quarta-feira.

Évora - este ano campeão da Europa ''indoor'' - aparece na final, que começa às 12:10 de Lisboa, com a sexta marca do ano entre os participantes, 17,24, não muito distante do norte-americano Omar Craddock (17,53 e dos russos Lyukman Adams (17,34, campeão do mundo em pista coberta) e Dimitry Sorokin (17,29).

O cubano Pedro Pablo Pichardo (18,08) e o norte-americano Christian Taylor (18,06) parecem de facto 'inacessíveis', prometendo uma luta inédita em Mundiais, já que nunca antes houve dois triplo saltadores para lá dos 18 metros, em simultâneo.

Na final dos 200 metros masculinos voltam a encontrar-se o jamaicano Usain Bolt e o norte-americano Justin Gatlin, respetivamente primeiro e segundo nos 100 metros, em Pequim.

Esta época, Gatlin está muito à frente, com 19,57 segundos, e Bolt, campeão em título, tem mesmo um tempo menos bom que o panamiano Alonso Edward.

Lusa

  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Novo campo de refugiados construído em Mossul

    Mundo

    Um novo campo de refugiados foi construído em Mossul, no Iraque. Com cerca de 4 mil tendas, foi construído durante 45 dias para albergar os deslocados que se prevê que aumentem com a atual ofensiva militar na zona ocidental da cidade.