sicnot

Perfil

Desporto

Pep Guardiola afirma que teria jogado pela seleção da Catalunha

O treinador do Bayern Munique, Pep Guardiola, defendeu hoje a independência da Catalunha a nível desportivo e político, realçando que teria jogado pela seleção catalã.

© Michaela Rehle / Reuters

"Se houvesse uma seleção catalã, eu teria jogado pela Catalunha porque nasci em Santpedor" afirmou Guardiola numa entrevista difundida pelo Guanyarem, um movimento a favor da independência.

Guardiola conta com 47 jogos pela seleção espanhola, enquanto era jogador do FC Barcelona (1990-2001), e, mais tarde, foi o treinador que levou o clube catalão ao topo da Europa, 'colecionando' vitórias entre 2008 e 2012.

O atual treinador do Bayern Munique, de 44 anos, sempre deixou claro o seu apoio ao movimento da independência da Catalunha e afirma que a região quer gerir os seus "próprios recursos" e construir "um país socialmente mais estável e próspero para todos".

O nome de Guardiola consta na lista do movimento pela independência, mas como ocupa o último lugar não é esperado que ele ganhe assento no parlamento regional.

Outro defensor deste movimento é o jogador espanhol do FC Barcelona Gerard Piqué, que recentemente foi vaiado por alguns adeptos durante um jogo da seleção espanhola, frente à Eslováquia.

Este incidente levou o jogo particular frente à Inglaterra a ser transferido do Santiago Bernabéu, 'casa' do Real Madrid, para o Estádio José Rico Pérez, em Alicante.

As eleições regionais na Catalunha estão marcadas para o próximo dia 27 de setembro.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.