sicnot

Perfil

Desporto

Ali bin Al Hussein volta a candidatar-se à presidência da FIFA

O príncipe jordano Ali bin Al Hussein, antigo vice-presidente da FIFA, anunciou hoje que volta a ser candidato à presidência do organismo, nas eleições marcadas para 26 de fevereiro.

© Muhammad Hamed / Reuters

Ali bin Al Hussein tinha concorrido contra Joseph Blatter no último ato eleitoral, a 29 de maio.

Na altura, o príncipe jordano acabou por abandonar a corrida depois de perder na primeira volta para Blatter, que viria posteriormente a demitir-se depois de 'rebentar' o escândalo de corrupção que assolou o organismo.

"Vou ser claro: quero terminar o que comecei. Fui o único a atrever-se a desafiar Blatter para a presidência da FIFA. Concorri porque acreditei que a FIFA precisa de mudanças. Tive a coragem de lutar por isso, enquanto outros tiveram medo", disse Ali bin Al Hussein no discurso de apresentação de nova candidatura.

O francês Michel Platini, presidente da UEFA, o sul-coreano Chung Mong-Joon, antigo vice-presidente da FIFA, e o ex-futebolista brasileiro Zico já anunciaram que são candidatos às eleições de 26 de fevereiro.

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.