sicnot

Perfil

Desporto

Florentino Pérez diz não imaginar o Real Madrid sem Cristiano Ronaldo

O presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, descartou na quarta-feira a saída do futebolista português Cristiano Ronaldo do clube, pois não imagina os 'merengues' sem o "melhor jogador do mundo".

© Sergio Perez / Reuters

"É impossível um Real Madrid sem Cristiano Ronaldo, pois é um jogador emblemático, além de ser o melhor jogador do mundo", afirmou o dirigente máximo do Real Madrid, em declarações à estação de rádio espanhola Cadena Cop.

Na mesma entrevista, o líder dos 'merengues' disse ainda que Rafael Benítez é o melhor treinador contratado por si até agora. No entanto, não deixou de destacar o trabalho do português José Mourinho ao serviço do clube.

"Se não estás nos oitavos de final da Liga dos Campeões, não estás no mundo e, com José Mourinho, voltámos", acrescentou Florentino Perez, referindo-se ao agora treinador do Chelsea, que orientou os madrilenos entre 2010 e 2013.

Ao serviço do Real Madrid, José Mourinho conquistou uma Liga espanhola, uma Taça e uma Supertaça em três épocas, nas quais chegou por três vezes às meias-finais da Liga dos Campeões, sendo eliminado por FC Barcelona, Bayern Munique e Borussia Dortmund, respetivamente.

Além de Ronaldo e Mourinho, o presidente do vice-campeão da 'La Liga' falou também do defesa-central português Pepe, o qual considera um grande jogador.

"Apesar de não ter sido uma contratação minha, ele [Pepe] é uma pessoa espetacular, além de ser um grande jogador", concluiu Florentino Pérez, que voltou a liderar os destinos dos 'merengues' em 2009, após uma primeira passagem, entre 2000 e 2006.

O Real Madrid, que segue na quinta posição do campeonato, com quatro pontos em dois jogos, visita no sábado os catalães do Espanyol, em jogo da terceira jornada da 'La Liga'.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão