sicnot

Perfil

Desporto

Roberta Vinci vence Venus Williams e confirma inédita final italiana

A italiana Roberta Vinci qualificou-se hoje para a final do US Open em ténis, quarto 'Grand Slam' da temporada, ao derrotar a favorita norte-americana Serena Williams, por 2-6, 6-4 e 6-4.

© Mike Segar / Reuters

Na segunda meia-final do dia, a segunda surpresa, ambas favoráveis a jogadoras italianas, com Flavia Pennetta e Roberta Vinci a escreverem história no ténis italiano, que, pela primeira vez, e logo a dobrar, tem uma representante na final de um 'major'.

Quanto a Serena Williams, acabou por ver desfeito o sonho de conseguir o 'Grand Slam' de calendário, acabando derrotada no último 'major' da temporada, no qual defendia também o titulo conquistado em 2014.

A norte-americana, destacada líder do 'ranking' WTA, era a grande favorita para este encontro, até porque, aos 32 anos, Vinci, 43.ª jogadora mundial, nunca tinha chegado tão longe num grande torneio na variante de singulares.

'Empurrada' pelo público, Serena entrou no jogo mais assertiva do que a italiana, que acabou derrotada no primeiro parcial face a 16 'winners' de Serena, contra apenas três seus.

Mas, nos segundo e terceiro parciais, a italiana melhorou o seu serviço e encontrou antidoto para o jogo agressivo, mas pouco assertivo, de Serena, conseguindo quebrar o serviço por uma vez no segundo 'set' e por duas no terceiro.

Com um duplo 6-4 nos segundo e terceiro parciais, fechados em 2:00 horas de encontro, a italiana marcou encontro na final de sábado com a compatriota Flavia Pennetta, que momentos antes superou a romena Simona Halep rumo à final de sábado.

Lusa

  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • Há mesmo um carro voador pousado no meio de Paris

    Dito assim, exageramos a importância da coisa, porque de facto estamos a falar de um protótipo que, inteiro, nunca voou. Dito assim, diminui a importância de termos ali mesmo à nossa frente um seríssimo protótipo de carro voador feito em colaboração pela Italdesign e pela Airbus a grande companhia construtora de aviões na Europa, desde o ano passado também com a colaboração da Audi. Faltava aqui um grande construtor de automóveis capaz de acrescentar o seu conhecimento.

    Lourenço Medeiros