sicnot

Perfil

Desporto

FIFA suspende e investiga secretário-geral Jérôme Valcke

A FIFA anunciou hoje a suspensão imediata do seu secretário-geral, o francês Jérôme Valcke, alegando conduta imprópria, colocando-o sob investigação.

© Ruben Sprich / Reuters

Valcke "foi afastado das suas funções, com efeito imediato, até mais notícias", refere o organismo que superintende o futebol mundial.

"A FIFA tomou conhecimento de uma série de denúncias envolvendo o secretário-geral e solicitou uma investigação oficial ao Comité de Ética da FIFA", acrescentou.

As acusações, negadas pelo dirigente de 54 anos, foram feitas por um consultor de uma empresa que selou acordo com a FIFA para a venda de bilhetes para o Mundial2014, mas o contrato foi cancelado.

O gaulês, que desde 2007 tem sido o braço direito do presidente Joseph Blatter, alegadamente beneficiou de um acordo para vender bilhetes a preço inflacionado.

A FIFA está envolvida em grande escândalo de corrupção desde que foram presos sete dos seus dirigentes a 27 de maio, nas vésperas do congresso em Zurique para eleger um novo presidente.

Estes dirigentes estão entre os 14 acusados pelas autoridades dos Estados Unidos por atos de corrupção ligados a televisão e marketing e que ascendem a cerca de 150 milhões de euros.

Apesar das detenções, Blatter foi eleito para um quinto mandado -- acabou sozinho na corrida -- mas posteriormente acabou por renunciar e marcar novas eleições para fevereiro.

Jérôme Valcke não foi implicado no escândalo de corrupção da FIFA, mas sempre foi defensor e muito próximo de Blatter.

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.