sicnot

Perfil

Desporto

Portugal garante subida ao grupo I com vitória de João Sousa na Taça Davis

Portugal garantiu hoje a subida ao grupo I da Zona Europa/África da Taça Davis em ténis, graças à vitória de João Sousa sobre o bielorrusso Uladzimir Ignatik, por 6-1, 6-1 e 6-4.

Numa longa batalha de cinco 'sets', com a duração de 3:34 horas, o vimaranense, 46.º do 'ranking' ATP, acabou derrotado por 7-4 no decisivo 'tie-break', depois de ter recuperado de uma desvantagem de dois parciais e de, já no quinto 'set', ter evitado um 'match-point'. (Arquivo)

Numa longa batalha de cinco 'sets', com a duração de 3:34 horas, o vimaranense, 46.º do 'ranking' ATP, acabou derrotado por 7-4 no decisivo 'tie-break', depois de ter recuperado de uma desvantagem de dois parciais e de, já no quinto 'set', ter evitado um 'match-point'. (Arquivo)

© USA Today Sports / Reuters

Na 'batalha' dos números um nacionais, Sousa (48.º do 'ranking' ATP) levou a melhor sobre o 209.º jogador mundial, impondo-se em uma hora e 42 minutos, para conquistar o 3-1 que assegura o triunfo de Portugal sobre a Bielorrússia no 'play-off' de acesso ao grupo I.

A seleção portuguesa regressa assim à 'segunda divisão' da Taça Davis, depois de ter sido despromovida ao grupo II da Zona Europa/África da Taça Davis em 2013.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.