sicnot

Perfil

Desporto

Governo francês considera "inaceitáveis" incidentes em Marselha

O ministro do Desporto francês classificou esta segunda-feira como "inaceitáveis" os incidentes ocorridos no domingo no jogo de futebol entre o Marselha e o Lyon e lembrou que o país vai organizar, dentro de poucos meses, o Euro2016.

Os incidentes nas bancadas levaram à interrupção do jogo aos 60 minutos, quando o Lyon vencia por 1-0 e o Marselha jogava com menos uma unidade, devido à expulsão de Alessandrini, aos 44.

Os incidentes nas bancadas levaram à interrupção do jogo aos 60 minutos, quando o Lyon vencia por 1-0 e o Marselha jogava com menos uma unidade, devido à expulsão de Alessandrini, aos 44.

© Philippe Laurenson / Reuters

"Estamos a meses de organizar o Euro2016. Peço a todos que avaliem o que aconteceu", afirmou Thierry Braillard, em declarações à rádio RTL, considerando que os "incidentes são inaceitáveis" e defendendo "controlos mais firmes".

Os incidentes nas bancadas levaram à interrupção do jogo aos 60 minutos, quando o Lyon vencia por 1-0 e o Marselha jogava com menos uma unidade, devido à expulsão de Alessandrini, aos 44.

O árbitro ordenou que os jogadores abandonassem o relvado, numa altura em que o internacional português Anthony Lopes, guarda-redes do Lyon, se preparava para marcar um pontapé de baliza e, subitamente, começaram a 'chover' vários objetos, incluindo garrafas e copos.

Após mais de 20 minutos de interrupção, o encontro foi retomado e Rekik acabou por fazer o golo do empate, aos 68 minutos.

O encontro acabou por ficar marcado pelo regresso de Mathieu Valbuena, agora no Lyon, ao Velodrome, depois de ter representado o Marselha durante oito temporadas, o que levou mesmo o clube a retirar a sua camisola, a 28, quando se transferiu há dois anos para o Dínamo de Moscovo.

De regresso a França, mas para o Lyon, Valbuena foi alvo da revolta dos adeptos do Marselha, que responderam com violência à 'traição' do internacional francês.

No sábado, o encontro entre o Bastia e o Nice (3-1) também se verificaram incidentes nas bancadas, e em Reims, adeptos do Paris Saint-Germain provocaram distúrbios após o final do encontro, que terminou empatado a um golo.

Entretanto, a liga francesa de futebol anunciou hoje que vai reunir de emergência para avaliar os incidentes ocorridos no no jogo entre o Marselha e o Lyon, da sexta jornada.

A França vai receber entre 10 de junho e 10 de julho, o Euro2016.

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os discursos de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa estiveram no Jornal da Noite da SIC, onde analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O Diretor de Informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida